Destaque muito especial para três armadores fluviais do Pará

Sem favor nenhum, hoje o colunista faz um destaque muito especial para três armadores fluviais do Pará. São eles: Eduardo Carvalho, considerado atualmente como uma das cabeças mais iluminadas do setor aquaviário nacional, presidente do Grupo Paes Carvalho; José Rebelo III, presidente do grupo REICON, diretor da CNT-Confederação Nacional dos Transportes e também vice-presidente da FENAVEGA-Federação Nacional das Empresas de Navegação Aquaviárias e, o mais jovem PHD Breno Dias, que, por sinal, recentemente foi eleito presidente do SINDARPA, sendo também diretor do Grupo GDias, de extraordinário conceito em todas as direções da Amazônia.
Os dois primeiros, por sinal, já foram presidentes do SINDARPA, com trabalho marcado por muitas realizações em defesa do tráfego fluvial. Foto de Luis Celso, no dia em que foram homenageados, merecidamente.

CDP na mira da privatização ou mesmo estadualização

Assim como a CDP-Companhia Docas do Pará poderá ser privatizada, existe também a possibilidade da mesma ser estadualizada, como aconteceu com o porto de Itaqui em São Luis do Maranhão. O Governo do Estado do Pará, inclusive, já tem estrutura muito especial, que é a CPH-Companhia de Portos e Hidrovias, tornando tudo mais fácil. Diante dos comentários, resta somente aguardar os acontecimentos.

Portus continua na mesma prestes a despencar de vez

Nem a grande força da Federação Nacional dos Portuários, que congrega uma série de sindicatos, conseguiu até agora sensibilizar o Governo Federal para tirar o PORTUS do sufoco financeiro em que se encontra, instituição que foi “depenada” por irresponsáveis, estando prestes a despencar de vez, deixando portuários, aposentados e pensionistas a ver navios. Triste.

Marinha realizou descontaminação no Terminal “Luiz Rebelo Neto”

Recentemente o Comando Conjunto Norte, por meio de militares da Marinha do Brasil, realizou uma completa descontaminação no Terminal Hidroviário de Belém “Luiz Rebelo Neto”, localizado no cais do porto. O objetivo foi reduzir a incidência de contaminação por coronavírus na área e nas instalações do local, onde sempre há grande aglomeração de pessoas.
A importantíssima iniciativa foi realizada pela Equipe de Resposta “Nuclear, Biológica, Química e Radioativa” do 2o Batalhão de Operações Ribeirinhas, Organização Militar subordinada ao Comando do 4o Distrito Naval.

MARESIAS

Verdadeiros amigos do setor, faça sol os faça chuva: Daniel Pereira (Henvil), Relton Osvaldo Pinto (Atlântica Matapi), José Rebelo III (Reicon), Breno Dias (Transdourada), Benedito Pantoja (Camila), Eduardo Carvalho (MEGA), Mario Leitão (Casa das Tintas) e Luiz Omar (Nortepilot). Amanhã tem mais.

Com pouco tempo de instalado em nossa capital, o Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral do Norte, subordinado ao Comando do 4o Distrito Naval, já realizou importantíssimas missões de socorro, tanto nos rios como no mar, dando apoio a uma série de operações.

Uma entidade que muito vem se destacando no setor é o SINDAMPA- Sindicato das Agências Marítimas do Estado do Pará, Amapá e Amazonas, gozando inclusive de extraordinário conceito junto às Autoridades Navais e Portuárias de toda Amazônia.

Já que na grande Amazônia as estradas naturais são os rios, temos certeza absoluta que tanto o nosso grande Governador Helder Barbalho, como o Governo Federal não vai deixar as empresas de navegação na pior, mesmo porque “embarcação parada não ganha frete e nem passageiro”.

O CENTRONAVE que, por sinal, há muitos anos teve a sua sede funcionando no Rio de Janeiro, hoje está com as suas atividades centralizadas em São Paulo. Essa entidade, inclusive, há alguns anos passados teve uma movimentada Delegacia em Belém

Não será nenhuma surpresa para o colunista se dentro em breve a Manobrasso em parceria com o Grupo REICON, forem selecionadas para realizar em conjunto uma outra importante operação aqui na região, com a utilização, inclusive, da Cábrea “Rio Branco”. Anotem.

Com certeza nestes próximos quatro anos um grande número de barcaças graneleiras e possantes rebocadores deverão ser construídos com recursos do Fundo de Marinha Mercante para atender o transporte de grãos. Total renovação da frota. Muito bom.

Muita gente não sabe, mas a paraense lá de Icoaraci, Comandante-CLC Hildelene Bahia, da Primeira Turma de Mulheres formadas pela nossa Universidade do Mar, o CIABA, já foi premiada internacionalmente pelo seu extraordinário desempenho.

Com certeza a volta dos navios de turismo estrangeiros na rota de Manaus só acontecerá próximo ao final do ano, cruzando o rio Amazonas através da Barra Norte. Da última temporada alguns ainda deixaram de cumprir a sua programação integral, por conta do coronavírus. (AS).

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
Previous
Next