Ex-Comandante do CIABA hoje cursando a EGN em linha direta lá no Rio de Janeiro com o colunista

Em linha direta do Rio de Janeiro o colunista teve a grata satisfação de receber atencioso telefonema do ilustre Capitão-de-Mar e Guerra, Marcelo Baptista, que exerceu em Belém com a mais absoluta capacidade as funções de Comandante do CIABA-Centro de Instrução “Almirante Braz de Aguiar”, a nossa Universidade do Mar, marcando o seu trabalho com muitas realizações. Oficial Superior da nossa gloriosa Marinha, de elevado os méritos, hoje está cursando a EGN. Em nossa capital deixou um grande número de amigos, incluindo este colunista, a quem sempre dedicou uma atenção muito especial. Como recordar é viver, republicanos hoje a foto onde ele aparece com sua bela esposa, Irene, e este seu amigo, numa noite festiva promovida pela nossa SOAMAR-Belém, no aprazível Pier-47. (Foto de Luiz Celso).

Perpetuação é uma prática inaceitável nos sindicatos e federações

A coluna, nestes quase meio século voltada para o setor fluvial, marítimo, portuário, indústria naval e outros segmentos anexos, por sinal, a única no Brasil, sempre se posicionou contra a perpetuação de presidentes de Sindicatos e de Federações, no máximo dois mandatos já estaria de bom tamanho, afinal de contas essa prática precisa acabar de vez, para dar oportunidade para outros. Depois eu volto com os devidos detalhes sobre o assunto.

Ministro anunciou leilões de áreas portuárias até o final do ano

O Ministro da Infraestrutura, Tarcisio Freitas, que por sinal vem realizando um excelente trabalho a frente desta importante Pasta, afirmou em recente entrevista, que com certeza antes do final deste ano, acontecerá leilões envolvendo um grande número de áreas portuárias, com certeza algumas delas, como a CDP e, possivelmente até o Terminal Sotave na Ilha do Outeiro.

Uma jovem armadora que muito se destaca no setor

A bela armadora empresária Jéssica Sabbá vem se destacando cada vez mais no setor da navegação fluvial através do SINDARMA em Manaus, ela que é a diretora-presidente da famosa e conceituada empresa Waldemiro P. Lustoza-WPL, que há longos anos vem operando na Amazônia Oriental e na Amazônia Ocidental no transporte de derivados de petróleo, gozando de extraordinário conceito junto às autoridades navais, pela seriedade dos seus serviços. Para ela vai um beijo e uma rosa.

MARESIAS

O nosso grande amigo Almirante-de-Esquadra Alípio Jorge Rodrigues da Silva, ao transmitir o Comando da Escola Superior de Guerra para o seu substituto, consignou os melhores elogios do Ministro da Defesa, pelo excelente trabalho realizado. Muito bom.

Em data a ser ainda confirmada, ele assumirá o Comando de Operações Navais da Marinha. Ele deixou o Comando do 4º Distrito Naval com o pé direito. Seu trabalho na Amazônia Oriental ficou marcado com importantes realizações.

É lamentável a situação do RODWAY de Manaus-Porto Público Flutuante, que do seu gênero só existe mais um no mundo todo, ou seja, na Antuérpia. O RODWAY teve seus dias de glória, muito visitado nos finais de tarde por belas amazonenses. Que saudade…

A cábrea “Rio Branco”, que permaneceu por muitos anos totalmente ociosa no cais do porto, hoje de propriedade dos Grupos Manobrasso/Reicon, vem realizando importantes operações, com a sua capacidade inclusive aumentada para 240 toneladas.

Dentro de mais dois anos o número de grandes comboios fluviais vai aumentar consideravelmente no transporte de grãos, todos eles cruzando os Estreitos de Breves, para exportação através do porto de Vila do Conde, dentro das normas recomendadas.

Muita gente não sabe, mas a COMARA-Comissão de Aeroportos da Região Amazônica, braço fluvial da Força Aérea Brasileira, conta hoje com cerca de 19 comboios fluviais, que oferecem apoio logístico a diversos aeroportos espalhados pela Amazônia.

Há alguns anos passados as cidades de Marabá, no médio Tocantins, e Bragança, já tiveram Agência da Capitania dos Portos. Abaetetuba contava com uma Capazia que, hoje não existe mais. Aliás, a Câmara Municipal desta última cidade continua reivindicando.

Não tem jeito mesmo. O navio fluvial “Barcarena”, que pertenceu a frota da ENASA-Empresa de Navegação da Amazônia, que por último operou como Navio-Auxiliar do Corpo de Bombeiros Militar, com outra denominação, está mais para sucata em Miramar…

Muita gente não sabe mas nos tempos do SNAPP-Autarquia Federal Marítima Fluvial e de Portos tinha um Quadro de Práticos além dos rios da Amazônia. Tinha de Belém/Recife e de Belém/Caiena, na Guiana Francesa. Bons tempos. (AS).

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
Previous
Next