Jovem armador empresário paraense presidente do Grupo Reicon hoje é destaque nacional

O jovem empresário e armador dr, José Rebelo III, que aparece na foto com a sua esposa, dra. Fernanda e o colunista, quando de um encontro social em Belém, ele que é o diretor-presidente do Grupo REICON, desempenhando com absoluta capacidade a vice-presidência da FENAVEGA, bem como uma das Diretorias da CNT-Confederação Nacional dos Transportes, fazendo parte ainda da atual Diretoria do SINDARPA, hoje está destacado nacionalmente, inclusive pelos altos escalões da nossa Marinha do Brasil, ele que também faz parte da Diretoria da SOAMAR-Belém sendo um grande colaborador da entidade, como bom soamarino que é, seguindo as pegadas do seu saudoso genitor armador empresário dr Luiz Rebelo Neto. Dentro em breve José Rebelo III será homenageado, mas isso depois eu conto.

MEGA LOGÍSTICA crescendo cada vez mais

A empresa MEGA LOGÍSTICA, especializada em operações fluviais marítimas e portuárias, sem alardes vai aumentando cada vez mais o seu raio de ação. Pioneira em Santarém, hoje está presente também em Belém e Vila do Conde e, futuramente, em Santana-AP e São Luís-MA, graças a uma equipe do mais alto nível e equipamentos especializados que oferecem uma operação rápida e segura, fruto do trabalho dos seus esperimentados os dirigentes.

Aliança confirmada entre Sulnorte e a CPT-Empresas Marítimas

A Sulnorte e a CPT-Empresas Marítimas firmaram aliança estratégica que trará benefícios mútuos no âmbito comercial. A parceria tem como principal objetivo identificar e explorar oportunidades comerciais conjuntamente, oferecendo ao mercado soluções que envolvam uma cobertura mais ampla, além de agregar maior valor as empresas. Com uma frota de 48 rebocadores, a CPT opera nos principais portos do Chile, Argentina, Peru, Equador e Panamá, enquanto a Sulnorte cobre os principais portos brasileiros, Aliás, a Sulnorte já está presente no Pará, precisamente em Santarém.

Licitações que atingem mais de 6 milhões de reais

A CDP-Companhia Docas do Pará está realizando seis licitações objetivando uma série de serviços envolvendo diversas unidades da empresa, uma delas atinge mais de 3 milhões de reais, sendo que o total de todas vai a mais de seis milhões de reais. Como se vê, não é tão ruim a situação financeira da mesma, como chegou a ser apregoado há alguns dias passados no setor. Sobre o assunto voltaremos oportunamente com novos detalhes.

MARESIAS

Só trouxe satisfação a Instrução Normativa do Secretário Nacional de Aquicultura e Pesca, Jorge Seif Júnior, dispondo sobre o ordenamento da atividade de arrasto da piramutaba na área compreendida entre as fronteiras do Brasil e Guiana Francesa e divisa do Pará com estado do Maranhão.

Sobre essa decisão da SAP, destaca-se o extraordinário trabalho do empresário Apoliano Nascimento, presidente do Sinpesca, que ao longo dos anos vinha batalhando para que isto acontecesse, cujo assunto, inclusive, foi amplamente discutido em Manaus durante a última reunião do CPG Norte.

Muita gente não sabe mas o Governo do Maranhão foi ameaçado de seu Estado perder a concessão do porto de Itaqui, administrado pela EMAP-Empresa Maranhense de Administração Portuária. Felizmente isto, pelo menos até agora, não aconteceu. Esse porto, que era administrado pela CODOMAR, teve um grande impulso.

Destaque do mês de abril no setor da navegação fluvial do nosso Estado foi a operação transporte de um Hospital de Campanha realizada pelo Grupo Celte em Belém, para a cidade de Breves, sem nenhum problema. O grande feito recebeu inclusive elogios do Governador Helder Barbalho, que muito vem fazendo pelo nosso Estado.

O navio-boiadeiro “HAIDAR”, que há mais de 4 anos se encontra naufragado no porto de Vila do Conde, causando prejuízos para a CDP-Companhia Docas do Pará, se quisessem, poderia ser reflutuado e movimentado para outro local, bastaria contratar a Manobrasso/Reicon. que trabalha em parceria com a cábrea Rio Branco.

Muita gente não sabe, mas o navio fluvial “Anne Caroline-III” que naufragou quando se dirigia de Macapá para Santarém, trata-se de uma embarcação antiga devidamente “maquiada” cuja estabilidade comprometia sua segurança quando o movimento das águas do rio Amazonas se apresentava em grande evolução, especialmente à noite.

A Capitania dos Portos da Amazônia Oriental – CPAOR, continua mantendo o Programa de Segurança da Navegação na Amazônia, fazendo as devidas observações para a Premiação quando do encerramento do mesmo, que acontecerá no final deste ano. Será o segundo na gestão do Comandante Pinho, que vem realizando um especial trabalho nessa função. (AS).

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
Previous
Next