Marinha do Brasil comemora mais um Aniversário da Batalha Naval do Riachuelo – Data Magna da Gloriosa Marinha do Brasil.

Em função dos problemas que estão sendo causados pela COVID-19, o evento não será festivamente comemorado como nos anos anteriores, com imposição à civis do Merito Naval. Tudo será restrido, como vem acontecendo, sem convidados, apenas militares da Marinha e de outras Forças. O encontro será no Comanda 4º Distrito Naval, presidido pelo Comandante Valter Citavicius Filho. Os civis agraciados com a Medalha do Mérito Naval receberão a honraria em data oportuna, que será confirmada pelo Comando do 4º DN. São eles: Nelson Chaves, Conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Pará; Dra. Sônia Guedes, Presidente do Soamar-Belém e Glauco Cei, Presidente da Soamar-Amapá.
Tudo pela Pátria. Salve BARROSO!

Reicon com quase meio século de atividades no setor fluvial

A Reicon, prestes a comemorar meio século de atividades, foi a primeira no transporte de gás-GLP (Cozinha) através de embarcações fluviais especializadas e graças ao comprimento legal das recomendações do setor competente, jamais registrou qualquer acidente, ao contrário, já consignou importantes premiações. Com suas atividades diversificadas, hoje se destaca cada vez mais em todas as direções da Amazônia Oriental, transportando também todo e qualquer tipo de carga, tanto no sistema convencional, como através de contêineres.

Lentamente o Grupo SUPERPESA vai chegando a Vila do Conde

Informação chegada a coluna dá conta que o Grupo SUPERPESA, que ganhou a Concorrência realizada pelo Governo Federal há quase dois anos, já está tomando as primeiras providências, para dentro em breve dar início a reflutuação do navio-boiadeiro “HAIDAR” e a sua movimentação para outro local. O custo desta operação envolverá cerca de 46 milhões de reais (não sabemos se aconteceu algum reajuste), tendo em vista que a referida Concorrência aconteceu ainda no governo anterior. Na ocasião do acidente foram sacrificados cinco mil animais. O navio ainda estava no porto de Vila do Conde.

Mais comboios fluviais para atender a demanda de grãos

Mesmo em tempos de crise, a perspectiva de crescimento de encomendas no setor da indústria naval é positiva, considerando a demanda de grãos aqui na Amazônia, necessitando com isto maior número de comboios integrados, formados por empurradores de grande propulsão e possantes barcaças graneleiras, não só com recursos próprios mas também através de financiamentos com apoio do Fundo de Marinha Mercante.

MARESIAS

O Capitão-de-Mar e Guerra (MD) da Reserva da Marinha, nosso grande amigo Dr. Francisco Palácios, que foi um grande Diretor do HNBe, não vestiu o pijama, continua com muita força e vigor no batente, com destaque inclusive na Unimed. Gente da melhor qualidade.

Há alguns anos o setor dos Trabalhadores Fluviais e Representantes Sindicais, teve representantes na Assembleia Legislativa do Estado do Pará. Um Oficial de Náutica-Comandante, um Rádiotelegrafista e um Motorista Fluvial. Saíram-se ser muito bem.

Hoje na Amazônia Oriental o transporte fluvial de passageiros é feito na sua grande maioria através de catamarãs e ferry-boats.
A Bom Jesus Navegação opera dois deles na rota de Breves. Ambos foram construídos em Santa Catarina-SC.

Muita gente não sabe, mas a Capitania dos Portos chegou funcionar no prédio da Presidente Vargas com a Rua Gaspar Viana, isto muito antes da L. Figueiredo Navegação e da Frota Amazônica S/A. Na ocasião tinha um simpático Patrão-Mór.

O Terminal da REICON, que está sempre lotado de contêineres, oferece calado para receber embarcações de grande porte, totalmente bloquetado, é sem dúvida alguma um dos mais completos da nossa capital. Equipado inclusive com possantes equipamentos.

Está caminhando para cinco anos o naufrágio do navio-boiadeiro “HAIDAR” no porto de Vila do Conde, sacrificando 5.000 animais e, até agora, a sua reflutuação não aconteceu. O vencedor da licitação, há mais de um ano, não iniciou o serviço. Dizem que agora vai…

Pelo que se observa acabou de vez a representação em Belém da “Confraria dos Velhos Marinheiros”, mesmo com bom número de CONFRADES, inclusive ligados ao empresariado do setor aquaviário. Nunca mais tivemos notícias da mesma. Triste.

O Portal da Navegação, no qual a coluna também está presente nos dias da sua publicação, vem aí com total repaginação, mantendo o seu padrão nacional e internacional, sempre trazendo em primeira mão as boas notícias do setor. Muito bom.

Muita gente não sabe, mas o Terminal da Ponta da Madeira, em São Luís do Maranhão (TUP), aportam alguns dos maiores navios do planeta, possuindo inclusive salas de controle remoto para estabilidade da atracação de navios. TUP, para quem não conhece, é Terminal de Uso Próprio. (AS).

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
Previous
Next