Recordando o importante evento realizado pelo Comando do 4º Distrito Naval – Almirante Edlander Santos

Um dos grandes amigos do colunista, que também exerceu as funções de Comandante do 4º Distrito Naval, foi o bom caráter Vice-Almirante Edlander Santos, conhecedor profundo da região Amazônica, quando ainda CMG foi Comandante da Capitania dos Portos do Estado do Amazonas.
Em Belém ele deixou muitos amigos, pela maneira educada em tratar as pessoas, sem contestação, um verdadeiro gentleman, ele que aparece na foto tendo ao seu lado a dra. Sônia Guedes e o jovem armador empresário dr. Breno Dias, hoje Presidente do SINDARPA, que na ocasião recebeu a Medalha AMIGO DA MARINHA, ao seu lado sua bela esposa, Roberta, em evento realizado pelo Comando do 4º Distrito Naval. (Foto de arquivo da coluna).

Cábrea “Rio Branco” agora com mais potência e com o sêlo da REICON

A cábrea “Rio Branco”, agora com sua potência aumentada, graças a elogiável iniciativa da REICON, que inclusive vem trabalhando em parceria com a empresa MANOBRASSO, em qualquer operação de grande porte de salvatagem, para quem não sabe, foi a responsável por toda movimentação dos equipamentos pesados para a Hidrelétrica de Tucuruí, inclusive as turbinas, chegando a Belém através de navios Roll-On-Roll-Off, que da nossa capital seguiam em super balsas até o seu destino final. Foi justamente quando mais a CDP faturou com esse equipamento. Depois, o mesmo ficou por muito tempo ocioso no cais do porto, ou seja, até ser passado em frente para o Grupo REICON, que já realizou importantes serviços, inclusive para o mega-estaleiro Rio Maguari.

Desativação de Plataformas causaram desemprego para mercantes

O desemprego aumentou na Marinha Mercante Brasileira, desde quando foram desativadas as Plataformas em Alto Mar e, com isto, saíram de tráfego um grande número de Barcos de Apoio Marítimo, por sinal, grande parte deles era tripulado por jovens mulheres Oficiais de Máquinas e de Náutica, formadas em Belém pelo CIABA e, no Rio de Janeiro, pelo CIAGA, tanto assim que um grande número delas encontram-se hoje desempregadas, o que é muito lamentável, buscando outras opções para sobreviver.

Leitor da coluna à bordo do NT “Dragão do Mar” da Transpetro

A bordo do NT “Dragão do Mar”, que no momento navega pela Europa, tem duas “Belas do Mar”, uma Oficial de Náutica e uma Oficial de Máquinas, que, através do Portal da Navegação bordejam pela coluna nos dias de sua publicação, ambas formadas pela nossa “Universidade do Mar”, que é o CIABA. Uma paraense e outra cearense. São elas: Tainá e Cínthia, para elas o colunista envia um beijo e uma rosa.
Brevemente publicaremos suas fotos ao lado do seu Comandante, o paraense também formado pelo nosso CIABA, CLC Ricardo Monteiro.

MARESIAS

BOMBA!. Segundo comentários que vem aumentando a cada dia, uma grande “BOMBA” pode estourar envolvendo o setor portuário do Maranhão. Estamos de olho no lance.

Em briga de TUBARÃO o melhor para a SARDINHA é ficar quietinha, porque qualquer descuido o pior pode acontecer, mesmo porque “o seguro… morreu de velho”. Certo?

Um conceituado grupo ligado ao setor da nossa capital, continua estudando a possibilidade de utilizar um cargueiro de 3.000 Tons, numa linha expressa Belém/Caiena/Belém.

Por falar em Caiena-Guiana Francesa, os SNAPP tinha dois navios mistos, o “Oiapoque” e o “Caciporé”, que tinham programação regular no transporte de cargas e passageiros0.

Ambos com estrutura especial para enfrentar o alto-mar, eram conduzidos pelos PRÁTICOS do Quadro da Autarquia Federal, dirigida por Oficiais da Ativa da Marinha.

Em toda a história da TRANSPETRO-empresa subsidiária de transportes marítimos da Petrobras, uma mulher está hoje na presidência e, segundo se sabe, vem realizando um grande trabalho.

Dizem no setor que ainda neste semestre vai aumentar a exportação de bois vivos para o exterior através do porto de Vila do Conde, que diminuiu consideravelmente em função da Covid-19.

Dentro de mais alguns dias a recuperação do porto de Manaus vai iniciar, para oferecer melhores condições aos navios de carga e passageiros. Serão envolvidos mais de 7 milhões de reais.

O referido porto-flutuante, conhecido como RODWAY, passará a ser administrado por uma empresa particular, conforme já informou o Ministério da Infraestrutura.

Não será nenhuma surpresa se uma antiga empresa de navegação fluvial da Amazônia, trocar de dono. Dizem, não sei, que as negociações estão em curso. Eu volto ao assunto.

O Grande Mestre Professor Valdemir Oliveira, já se pronunciou através do colunista como um dos fortes Cabos Eleitorais da sua ex-Aluna e Hildelene. Nota 10 para ele.

Da frota de Barcos do CIABA, tinha um deles com a denominação de “Jornalista Alyrio Sabbá”, que sempre saía vitorioso nas competições náuticas da sua especialidade. (AS).

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
Previous
Next