Premiação – Troféu da Capitania dos Portos para os destaques do setor de 2019 que cumpriram as devidas recomendações no PSNA

A empresa de Praticagem Pará River, no último Programa de Segurança da Navegação da Amazônia – PSNA 2019, foi também uma das premiadas pela Capitania dos Portos – CPAOR. Na foto aparece seu presidente, PRÁTICO Marcelo Salgado, recebendo o significativo TROFÉU das mãos do então Comandante do 4º Distrito Naval, vice-almirante Newton de Almeida Costa Neto, por ter cumprido as recomendações emanadas da CPAOR.
Conforme já informamos anteriormente, esse Programa foi instituído com total apoio da DPC-Diretoria de Portos e Costas e tem como objetivo premiar no seu encerramento entidades, empresas e outros segmentos ligados ao setor que mais se destacaram no cumprimento das recomendações desta OM da Marinha (Foto: Luis Celso).

Privatização da CODESA vem gerando grande temor entre os funcionários

A anunciada privatização da CODESA – Companhia Docas do Espírito Santo, que vem gerando um grande temor junto aos servidores em geral da estatal envolvendo todas as categorias, até agora não foi aprovado oficialmente.
Sobre a CODESP duas formas continuam sendo analisadas: privatização e concessão à iniciativa privada, com previsão para ocorrer até o final deste ano, possivelmente antes da CODESA – Companhia Docas do Espírito Santo.
Enquanto isto, a CDP-Companhia Docas do Pará, está no início da fila para ser estadualizada, assunto este que vem sendo tratado nos bastidores, inclusive a CPH-Companhia de Portos e Hidrovias, órgão do Governo do Estado do Pará é quem deverá dirigi-la, segundo os entendidos. Resta aguardar, nada mais.

Tem gente nova bordejando como funcionário do “Casarão”

As mudanças anunciadas na CDP-Companhia Docas do Pará aconteceram, com a chegada de duas técnicas vindo de Brasília. Uma delas assumiu, inclusive, a presidência do CONSAD. Como se vê, mais uma vez o pessoal do Quadro da estatal ficou a ver navios… fazer o quê? É um direito que assiste a diretoria, só que essas providências oneram cada vez mais os cofres da empresa. Sobre essa situação a coluna voltará, inclusive, informando com a devida precisão os gastos feitos com as novas nomeações e os pagamentos devidos, claro que dentro da legalidade.

MARESIAS

Com o funcionamento da Hidrovia do Tocantins, o porto de Vila do Conde iria aumentar consideravelmente sua movimentação, com exportação de vários produtos vindos da região do Araguaia/Tocantins, através dos comboios fluviais, e que seguiria daqui para o exterior, com menores custos.

O único político paraense que vem defendendo o aceleramento das obras da Hidrovia do Tocantins é o senador Jader Barbalho. Os demais políticos permanecem de braços cruzados com relação ao assunto de grande interesse para nosso Estado.

Dizem, não sei, que estadualização da CDP-Companhia Docas do Pará é de absoluta necessidade. Não adianta permanecer no atual regime, A prova está lá no Maranhão, que depois que o porto de Itaqui foi estadualizado, saindo da órbita da CODOMAR, tomou um grande impulso através da EMAP-Empresa de Navegação do Estado do Maranhão.

Hoje a Praticagem Brasileira conta com duas potentes entidades em defesa da categoria. São elas: CONAPRA – Conselho Nacional de Praticagem, no Rio de Janeiro e FENAPRÁTICOS, em Brasília, ambos de grande conceito junto às autoridades navais.

Muita gente não sabe, mas os estados do Amazonas, Pará, Maranhão, Ceará, Pernambuco (Norte e Nordeste) já contaram com grandes empresas de navegação de cabotagem, algumas delas fazendo até a rota de longo curso, sem nenhum problema.

Em pleno curso mais uma PSNA – Programa de Segurança da
Navegação da Amazônia – 2020, tem o selo da CPAOR, com total apoio da DPC. Aqueles que mais se destacarem no cumprimento do dever, serão premiadas, como sempre acontece no final do ano, em cerimônia especial.

Hoje tem diversos e diversas mercantes que, mediante Concurso galgaram o Quadro (T) da nossa gloriosa Marinha do Brasil, alguns e algumas, graças ao extraordinário desempenho, já estão no Quadro Superior, já tendo até Capitão-de-Mar e Guerra.

Passado o atual momento, que envolve inclusive os demais setores da navegação fluvial, um grande Grupo de Belém vai colocar em prática um especial projeto. Os comentários sobre o assunto, a coluna dará oportunamente aos seus leitores.

A Força-Tarefa da Capitania dos Portos da Amazônia Oriental CPAOR, sempre alerta, flagrou mais uma balsa carregada de madeira ilegal, de imediato foi direto para a Patromoria. A pena não será branda, Isto foi muito lamentável para uma empresa de conceito. (AS).

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
Previous
Next