19/07 – Porto de Vila do Conde tem estrutura especial para receber os grandes navios cargueiros mercantes

O porto de Vila do Conde, que pertence a CDP-Companhia Docas do Pará, tem estrutura para receber sem problemas os grandes navios cargueiros, melhor ainda ficará depois de passar por uma grande repaginação, estando hoje colocado entre os mais movimentados do país, com diversos TUPs também em funcionamento, como aparece na foto, um deles em operação. Aliás, o movimento desse porto aumentou a entrada de maiores navios, depois que aconteceu o aumento de calado através do Canal do Quiriri, trabalho que contou com a grande colaboração da Marinha do Brasil, quando Comandante do 4º Distrito Naval o vice-almirante Ademir Sobrinho, com a especial colaboração da Praticagem da Barra e de outro empreendimento ligados ao setor.
Ainda voltado para o porto de Vila do Conde, a próxima boa nova será a reflutuação do navio-curral “HAIDAR”, que naufragou ali há cerca de 4 anos e causou impedimento de outros berços do referido porto. Na ocasião foram sacrificados 5000 animais que estavam sendo exportados.

Nota para um quadro 1

Na foto um outro grande navio, este porta-contêineres, que se necessário poderá muito bem operar em Vila do Conde, sem maiores problemas na sua condução pelos Práticos da Barra, profissionais de alto nível, portadores do melhor adestramento possível.

Nota para um quadro 2

Existem projetos da Marinha através do Comando do 4º Distrito Naval para que tão logo tenha recursos financeiros, sejam instaladas na Amazônia Oriental pelo menos três Agências Fluviais, sendo uma em Marabá, uma em Itaituba e outra em Breves, onde o movimento de embarcações aumenta cada vez mais.

Companhia Docas na lista de privatização ainda neste semestre

Tudo indica que possivelmente ainda neste semestre aconteçam as privatizações envolvendo a CODESA-Companhia Docas do Estado do Espírito Santo e da CODESP-Companhia Docas de São Paulo, esta última que administra o maior porto da América do Sul, sediada na cidade paulista de Santos. O Ministério da Infraestrutura já está tomando as devidas providências.
Enquanto isso, continuam correndo solto na beira do cais que a nossa CDP-Companhia Docas do Pará será estadualizada, se de fato acontecer, passará a ser dirigida pela CPH-Companhia de Portos e Hidrovias, órgão do Estado do Pará. Resta portanto aguardar, porque depois eu volto.

MARESIAS

Dentro em breve uma comitiva de armadores fluviais da Amazônia Oriental, inclusive Diretores do SINDARPA, levados pelo presidente, dr. Breno Dias, irá ao Rio de Janeiro e Brasília, onde manterão o importante contato com o AE Alípio Jorge Rodrigues da Silva.

Na ocasião importantes assuntos voltados para a navegação fluvial da região serão levados ao seu conhecimento. Ele atualmente é o Comandante de Operações Navais da Marinha-CON. Ainda como vice-almirante foi Comandante do 4º Distrito Naval.

A Cábrea “RIO BRANCO”, hoje pertencente ao Grupo REICON, no seu gênero, depois dos reparos recebidos, inclusive o aumento de capacidade, tornou-se uma das melhores do Brasil. Habilitada para realizar qualquer operação sem nenhum problema.

Bem que os Deputados e Senadores do Amapá, Pará, Amazonas e Rondônia poderiam se unir em defesa da Polícia Federal Hidroviária da Amazônia, porque só com um órgão desse porte os ataques às embarcações de cargas e passageiros poderiam acabar na região.

São muitos Oficiais de Náutica e Oficiais de Máquinas, formados pelo CIAGA, no Rio de Janeiro, e pelo CIABA, em Belém, que estão desempregados. Uma outra categoria que também está enfrentando dificuldades com o fechamento de diversos estaleiros é a de engenheiro naval…

A Covid-19 impediu a vinda de grandes navios de turismo estrangeiros para a Amazônia até Manaus. Neste ano, com certeza, nenhum deles estará cruzando o rio Amazonas, como sempre acontecia através da Barra Norte. Era sempre uma grande festa.

Nunca mais a DTA Engenharia se pronunciou sobre as obras do derrocamento do Pedral do Lourenço, seria oportuno que o seu presidente, o bom caráter engenheiro José Acácio Gomes, fizesse qualquer pronunciamento sobre o assunto. Seria muito bom.

Novas obras virão a caminho para o mega-estaleiro RIO MAGUARI, além dos rebocadores da SULNORTE. Aliás, o maior número de embarcações fluvial, barcaças graneleiras e rebocadores que trafegam na Amazônia foram construídos por este estaleiro.

O Grupo Multinacional CARGILL está cada vez mais abrindo o leque em todas as direções da Amazônia e, e dentro em breve, estará chegando no município de Itaituba. Um dos seus executivos, Comandante e Engenheiro Clythio Backx van Buggenhout, que por sinal foi presidente da CDP-Companhia Docas do Pará, realiza ali um grande trabalho. (AS).

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
Previous
Next