Terminal Marítimo – Almirante Lima Filho, por Decreto do Presidente da República, foi reconduzido ao TM para mais um mandato de dois anos

Causou grande satisfação no setor, isto nacionalmente, a recondução do Almirante Lima Filho para mais dois anos de mandato na presidência do Tribunal Marítimo, cujo Decreto foi publicado no Diário Oficial da União, passando a vigorar desde o último dia 1º de agosto.
Como se sabe, o Almirante Lima Filho, que aparece na foto com o colunista, é muito estimado em Belém, e isto desde quando Diretor de Portos e Costas – DPC, onde realizou um extraordinário trabalho, marcado por importantes realizações voltadas para o setor aquaviário. Um grande amigo deste colunista.
O Tribunal Marítimo conta hoje com 86 anos de relevantes serviços, muito especialmente agora, cuja Corte vem solucionando os problemas, referentes a processos, com a maior rapidez possível. Que o sucesso continue. (Foto: Luis Celso).

Autoridade da Marinha em linha direta agradece as notas publicadas

O Almirante-de-Esquadra Alípio Jorge Rodrigues da Silva, hoje Comandante de Operações Navais da Marinha – CON, por sinal um grande amigo deste colunista, em linha direta agradeceu as notas publicadas, inclusive a mais recente, ele que quando ainda vice-almirante foi Comandante do 4º Distrito Naval.
Assim que tiver condições, visitará Belém a serviço, aproveitando a oportunidade para abraçar os amigos que deixou na capital paraense, programando inclusive uma visita a Nossa Senhora de Nazaré, da qual é um fiel devoto, juntamente com sua distinta esposa, dra. Mara, que muito ajudou os necessitados quando presidente da Secção-Pará das Voluntárias “Cisne Branco”.

Navios de turismo estrangeiro voltaram ao Brasil antes do final do ano

O mesmo que vai acontecer antes do final do ano na costa brasileira, com passagem antes por Santos e Rio de Janeiro, ou seja, a volta dos navios de turismo estrangeiro, com turistas a bordo, também acontecerá na rota da Amazônia, com entrada pela Barra Norte até Manaus, pelo menos é o que se comenta nos meios turísticos marítimos.
Os navios de turismo estrangeiros que cruzam o rio Amazonas, sempre fazem pelo menos uma escala intermediária, ou seja, Alter do Chão (Santarém), com fundeio também na Boca da Valéria (Parintins-AM). Ao chegarem em Manaus são recebidos com muita festa.

Verdadeiros heróis, Práticos enfrentam riscos, mas continuam firmes

Verdadeiros heróis, são considerados os nossos Práticos, que mesmo enfrentando sérios problemas com relação ao COVID-19, esses profissionais muito bem amparados para isto, continuam manobrando os navios, sem maiores problemas, e isso acontece tanto com a Praticagem da Barra como na ZP-1, esta na singradura através do rio Amazonas.
Para manter esse serviço à altura, com a devida proteção aos Práticos, a despesa é muito grande, porque não só os Práticos recebem a proteção exigida como também todos os demais servidores que atuam nas lanchas que os conduzem aos navios.

MARESIAS

Tem duas empresas de navegação fluvial em nossa capital que estão com dois importantes projetos para serem colocados em prática, assim que a situação permitir. Ambas operam também no transporte de passageiros. Depois eu conto.

As empresas de navegação de cabotagem que formam a AMAC, com sede no Rio de Janeiro, já se posicionaram contra a vinda de navios estrangeiros para operarem na costa brasileira. O certo, e melhor, é construir nos estaleiros do Brasil.

Conforme já noticiamos, hoje a cabotagem no Brasil vem sendo atendida na sua extensão até Manaus, por vários porta-contêineres de bandeira estrangeira, ou melhor, por empresas de capital estrangeiro, com destaque a Aliança e a Mercosul Line.

Muita gente não sabe, mas a nossa BNVC-Base Naval de Val-de-Cães, há alguns anos passados, foi MANCHETE nos jornais da Grécia, pela recuperação no seu dique de um cargueiro acidentado no rio Amazonas e que por pouco não afundou. Muito bom.

Salvo engano, mas tudo faz crer que o bom caráter Mário Póvia – Diretor maior da ANTAQ – Agência Nacional de Transportes Aquaviários, tem uma certa “simpatia” pelo Maranhão. Até hoje nenhum prêmio desse órgão foi destinado a uma entidade paraense. Entenderam?

Nunca mais se ouviu um “PIO” sobre qualquer assunto que envolvesse a tão badalada derrocagem do Pedral do Lourenço – Hidrovia do Tocantins. Agora eu acredito que “forças estranhas” devem ter entrado no circuito. Assim mesmo, depois eu volto…

Pelas informações chegadas a coluna, tudo indica que ainda neste ano acontecerão boas coisas no setor portuário do Pará, inclusive depois que o novo Diretor de Gestão Portuária chegou, com força total, imbuídos dos melhores propósitos. Que assim seja.

Ao contrário do que se esperava, pelas últimas informações chegadas, a exportação de bois vivos através do porto de Vila do Conde deverá diminuir, em vista dos problemas envolvidos pelo COVID-19, mas isto, com certeza, não será por muito tempo.

As obras de repaginação do RODWAY Porto Público de Manaus, agora sob Nova administração, tiveram início, pelas informações chegadas a coluna. Muita coisa boa vai oferecer, tornando-se inclusive uma atração turística. Muito bom e nota 10. (AS).

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
Previous
Next