Pará está hoje liderando o desmatamento com madeira em toras transportadas via fluvial

Infelizmente o nosso Estado do Pará está sendo considerado como o líder em desmatamento na Amazônia de acordo com os órgãos competentes, o que é muito lamentável. Ainda recentemente, aqui próximo a Belém, a Capitania dos Portos da Amazônia Oriental – CPAOR realizou a apreensão de um super-comboio composto por três possantes empurradores, que acionavam diversas barcaças carregadas de toras de madeira, tudo na irregularidade.
Para quem não sabe o Estado do Pará teve aumento de mais de 60% no desmatamento no período. Na foto os três empurradores que formavam o comboio conduzindo milhares de toras, na ilegalidade. Sobre o assunto o bicho já está pegando. Sem mais comentários…

Palavras confortadoras do Presidente do Conselho Superior da Petrobras sentida pelos mercantes brasileiros

O nosso grande amigo Almirante Eduardo Bacellar Leal Ferreira, hoje desempenhando a importante função do Conselho Superior da Petrobras, em recente discurso em um importante evento, falou sobre a grande importância da Marinha Mercante Brasileira para o desenvolvimento do País. Isso serviu de um aceno muito gratificante para aqueles que se sentem preocupados com a propalada privatização da Transpetro, hoje detentora da maior frota de navios tanto de cabotagem como de longo curso, onde o maior número de mercantes trabalham.
Como se sabe, os navios-petroleiros da Transpetro abastecem dos mais variados produtos diversos países do mundo, agora mesmo regressou de Portugal o NT “Dragão do Mar”, cujo o Comandante é um paraense, o CLC-Comandante Ricardo Monteiro, formado pelo nosso CIABA

Tarifa especial foi concedida a navegação de cabotagem em Santos-SP

A Praticagem de Santos-SP, firmou um contrato com as empresas de cabotagem através da ABAC-Associação Brasileira dos Armadores de Cabotagem, formalizando uma tarifa especial nas manobras de atracação e desatracação, envolvendo diversas empresas de navegação, entre outras a Aliança, Mercosul line, Norsul e Hidrovias do Brasil.
Esse acordo foi feito diretamente entre representante da Praticagem de Santos-SP e da ABAC-Associação Brasileira dos Armadores de Cabotagem. Não houve ingerência de outra qualquer entidade ligada ao setor da navegação.

Capitania em ação direta contra os infratores

A capitania dos Portos da Amazônia Oriental – CPAOR, continua dando duro em cima dos infratores. Um grande número, nestes últimos dias, foram autuados pela Força-Tarefa dessa importante OM da Marinha, cujo trabalho vem recebendo constantes elogios por tudo de bom que está realizando em toda área da sua jurisdição, mesmo com um pequeno efetivo.
Com aquele slogan espalhado por todos os rios da Amazônia, que diz: “A segurança é obrigação de todos”. Mas, ainda existem muitos no setor que não procuram seguir o mesmo. O excesso de passageiros é uma constante, além de outras irregularidades, o que é muito lamentável.

MARESIAS

O brilhante paraense CLC-Comandante Álvaro Almeida, presidente do Centro de Capitães da Marinha Mercante no Rio de Janeiro, sempre solicitado pelos altos escalões da Marinha para os grandes eventos, como aconteceu recentemente.

CDRJ-Companhia Docas do Rio de Janeiro, que tem na sua jurisdição importantes portos, mantém um especial relacionamento com a Praticagem, cuja entidade que reúne os Práticos vem sendo responsável por importantes projetos de sinalização.

O cenário do transporte fluvial pouco a pouco está voltando à normalidade, tudo dentro das normas recomendadas, inclusive pelas autoridades sanitárias e também da nossa Marinha, através das Capitanias dos Portos, isto na Amazônia Oriental.

A nossa grande Amazônia tem recebido muitas promessas que não são cumpridas, como a livre navegação pela Hidrovia do Tocantins, a Polícia Hidroviária Federal, a Hidrovia Navegável do Guamá, dragagem da bacia de manobras do porto de Belém e ainda o Terminal Offshore do Espadarte…

Comandante Alexandre Santiago já está em pleno exercício de sua nova função civil, prestando serviços ao Grupo Bom Jesus, que inclusive tem grande liderança no transporte de passageiros para região das Ilhas, utilizando também velozes catamarãs.

Dizem, não sei, que a grande demora que envolve a retirada do Pedral do Lourenço, no Rio Tocantins, tem muito a ver com problemas criados pelo Ibama, envolvendo sempre o meio ambiente. Governo contra governo. Isto é um grande absurdo. Até quando?

Muita gente não sabe, mas em Belém já teve uma draga permanente, a “Honório Bicalho “, que mantinha permanentemente a bacia de manobras o porto de Belém dragada e, durante o dia, ficava no cais do porto e, à noite, realizava dragagem sem problemas.

As empresas de navegação da área fluvial buscam equilíbrio depois da abertura do tráfego em função da Covid-19. Esperam, inclusive, o apoio financeiro do Governo, como está acontecendo com outros segmentos, para a devida estabilização financeira. Muito justo.

Todo brasileiro sabe que na Amazônia, onde estão registradas milhares de embarcações dos mais variados tipos, os rios são as estradas naturais, e no presente momento os sindicatos representativos preciso de um apoio financeiro para suavizar atual situação. (AS).

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
Previous
Next