Estaleiro paraense: Modernos Rebocadores para SULNORTE operar em Santarém serão construídos pelo RIO MAGUARI

O grande contrato que o mega estaleiro Rio Maguari deverá cumprir agora será a construção de uma série de Rebocadores Azimutais destinados a empresa de Operações Portuárias SULNORTE, que chegou na Cidade de Santarém trazendo a grande experiência adquirida em outras regiões. A construção dessas embarcações terá o apoio financeiro do Fundo de Marinha Mercante, devidamente aprovado sem nenhum problema.
Hoje o estaleiro Rio Maguari tem o sêlo de campeão, como melhor construtor de embarcações fluviais do Brasil, tendo consignado os mais destacados elogios inclusive das Autoridades Navais, pela excelência da sua mão-de-obra, mantendo o maior parque industrial de construção naval da Amazônia.
Na foto um dos mais modernos rebocadores azimutais construídos em nossa capital pelo mega estaleiro Rio Maguari, que já está em atividade.

Movimento no Sul para terceirização da Guarda Portuária

Dizem, não sei… que iniciou-se no Sul do País um movimento objetivando a terceirização das Guardas Portuárias, com único objetivo de diminuir custos nas Companhias Docas, já que a categoria tem uma série de adicionais, por conta do trabalho considerado penoso que realiza. Aqui no Pará, essa categoria pertence a CDP-Companhia Docas do Pará, contando inclusive com grande força de um SINDICATO, que é o SINDIGUAPOR, muito bem estruturado, por sinal, que vem defendendo os interesses da referida categoria. Hoje a CDP, salvo engano, deve contar no seu quadro com pelo menos 200 Guardas. Esta foi a informação que chegou a coluna. Vamos em busca da confirmação.

Movimento menor de navios-boiadeiros no porto de Vila do Conde

Está diminuindo a presença de navios-boiadeiros no porto de Vila do Conde, segundo informação chegada a coluna. Sobre o assunto, quando esses navios operavam no porto de Belém, houve dia de 8 unidades carregarem simultaneamente, com outros ao largo da Guajará, aguardando vaga no cais do porto.
A transferência das operações de carregamento deixou de acontecer em Belém, em função de uma Liminar, a pedido dos donos de restaurantes da Estação das Docas, tudo por causa daquele “cheirinho” que estava afastando os clientes. Isto, na verdade, estava acontecendo até pelo centro da cidade.

Dois maiores acidentes que fazem parte da história do Tribunal Marítimo

Em toda a história do Tribunal Marítimo, que hoje conta com quase 90 anos, os Processos que deram mais tempo para serem julgados, envolveram os barcos motor “Bateau Mouche – IV”, por sinal, construído em Fortaleza pelo estaleiro INACE, do nosso amigo empresário Gil Bezerra, embarcação que naufragou nas proximidades da Barra do Rio de Janeiro, na noite de 31 de dezembro de 1988, vitimando 55 pessoas. O segundo foi o “Novo Amapá”, que naufragou no dia 6 de janeiro de 1981, quando navegava de Macapá para o Jari, ocorrendo 300 mortes e 30 desaparecidos, cuja causa foi o excesso de passageiros, aliada à negligência do seu Comandante. Triste. Por tudo isso repetimos aquele slogan da CPAOR: “Segurança é obrigação de todos! “

MARESIAS

O poderoso Grupo Cargill está cada vez mais abrindo o seu leque em diversas direções da Amazônia. Nosso amigo Clythio conhece muito bem a região.

Existem comentários na beira do cais que deverá acontecer uma grande surpresa com relação a reflutuação do navio-boiadeiro “HAIDAR”, naufragado em Vila do Conde.

Agora são três portos comerciais, localizados no litoral de Belém, com armazéns e tudo mais, que estão à venda. Por dois deles passaram duas grandes empresas.

Muita gente não sabe, mas por pouco a Capitania dos Portos da Amazônia Oriental deixou de funcionar no Armazém 4, que pertence a CDP-Companhia Docas do Pará.

O Estaleiro ERIN, que encerrou suas atividades há alguns anos, chegou a construir navios de médio porte-petroleiros para a empresa São Miguel.

Tanto o dono da CONAM, como o da Casimiro Filho, empresas de cabotagem sediadas em São Luís-MA e Fortaleza-CE, eram grandes amigos deste colunista. Bons tempos.

O movimento de passageiros através do Terminal Hidroviário “Luiz Rebelo Neto”, administrado pela CPH, vai aumentar futuramente, segundo Abraão Benassuly.

A empresa Camila Navegação goza de excelente conceito em Santarém, assim como em Cametá, baixo Tocantins, por sinal, ela coleciona hoje muitos prêmios.

A Capitania localizada em local mais distante na Amazônia funciona na cidade de Tabatinga no Rio Solimões, fronteira com a Colômbia e o Peru.

Muita gente não sabe, mas a EFOMM do CIABA- Centro de Instrução “Almirante Braz de Aguiar”, já formou em Máquinas e Náutica um grande número de estrangeiros.

Não está descartada a ida de uma Comissão de armadores fluviais, através do SINDARPA, para um contato muito especial com autoridades federais ligadas ao setor.

A CELTE Navegação há muitos anos vem prestando um serviço náutico muito especial, tanto para o INSS como para a Caixa Econômica Federal. É só elogios. (AS).

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
Previous
Next