Tribunal Marítimo realizou primeira reunião com Advogados e Procuradores sobre peticionamento eletrônico

No dia 15 de setembro, o Tribunal Marítimo (TM) realizou a primeira reunião por videoconferência sobre o peticionamento eletrônico pelo Sistema Eletrônico de Informação (SEI).
O Tribunal Marítimo com o apoio da Diretoria de Comunicação e Tecnologia da Informação da Marinha (DCTIM) vem empenhando esforços desde o ano de 2017 para implantar um Processo Judicial Eletrônico. Para tanto, foi realizado investimentos em equipamentos e um acordo com o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) para a cessão do SEI, que foi customizado para atender as demanda do Tribunal Marítimo, buscando a economicidade, transparência e celeridade no trâmite processual.
Após um período de desenvolvimento e adaptações o TM terminou a primeira versão do sistema que irá viabilizar a implantação do Processo Judicial Eletrônico no âmbito deste tribunal, o SEI-TM.
Com o propósito de discutir e apresentar aspectos relativos ao desenvolvimento do sistema, que atenda as necessidades de todos os setores envolvidos no referido processo, no dia 15 de setembro, o TM realizou uma reunião por videoconferência com advogados e procuradores que atuam nos processos que tramitam nesta Corte Marítima.
Buscando sempre entregar o melhor serviço a todas as partes envolvidas o TM ouviu todas as dúvidas e sugestões colocadas pelos participantes da reunião, as quais serão levadas para análise e consideradas na versão final do sistema que entrará em operação ainda em 2020.

Praticagem de porto e de singradura é coisa séria

O CONAPRA – Conselho Nacional de Praticagem, entidade de elevado conceito, inclusive junto a Marinha do Brasil, bem como a FENAPRÁTICOS, afirmam, assim como todos aqueles que conhecem de perto o trabalho de um Prático, que o Projeto de Lei apresentado pelo Deputado Federal Alceu Moreira (MDB), que não sabe nem para onde fica bombordo e nem boreste, se aprovado só viria ameaçar seriamente a preservação de mares e rios, portanto, olho vivo, porque ninguém melhor que a nossa Armada sabe da grande responsabilidade de um Prático. Serviço essencial, porque sem esses profissionais os navios ficariam à deriva.

No Brasil: Estaleiro Rio Maguari lidera a construção de embarcações fluviais

O conceito hoje do estaleiro Rio Maguari já chegou ao exterior. Graças a sua muito especial mão-de-obra, barcaças acionadas por possantes empurradores, com o selo do mesmo, trafegam inclusive na Argentina já há bastante tempo. Esse estaleiro, por sinal, tem sido responsável pelo maior número de embarcações construídas no Brasil para o tráfego fluvial, uma grande parte operando no transporte de grãos, aqui na Amazônia.
O referido estaleiro, além de outras encomendas, tem do Grupo SULNORTE uma série de modernos rebocadores azimutais, que serão construídos com recursos do Fundo da Marinha Mercante.

Rio Guamá: É uma festa nos finais de semana por conta das embarcações de Recreio

Nos finais de semana é sempre uma festa no rio Guamá, especialmente pelas proximidades da Ilha do Combú, onde funcionam diversos restaurantes que oferecem um cardápio, na maioria, de comidas regionais. Observa-se o tráfego de um número expressivo de embarcações de recreio dos mais variados tipos, não faltando os jet skis, com manobras que só um bom piloto pode fazer.
Aliás, é sempre bom repetir que Belém é a segunda capital do país com o maior número de jet-skis. Isto deve-se ao bom soamarino empresário Leonel Pinho, fundador da primeira Associação de Pilotos desses equipamentos náuticos que, por sinal, realiza todos os anos um importante evento beneficente em prol dos ribeirinhos, que tem até apoio de autoridades navais.

MARESIAS

O grande amigo Almirante Newton, em linha direta com o colunista, entre outras considerações, teceu os melhores elogios ao Almirante Valter Citavicius Filho, seu substituto no Comando do 4º Distrito Naval. Muito bom.

Preferenciais. Há alguns anos passados, a APBAM – Associação de Praticagem da Bacia Amazônica, hoje ZP-1, tinha também práticos preferencias. As empresas de navegação poderiam solicitá-los mediante o pagamento de um adicional especial.

A FENAVEGA continua alertando o setor com relação a “EVENTOS FABRICADOS” que estão surgindo na área aquaviária, quando na verdade não tem nada a ver, já que o assunto é parte das atribuições desta entidade, portanto, Olho Vivo.

A MEGA LOGÍSTICA continua abrindo o seu leque, chegando em outros Estados, com um serviço de alto nível voltado para operações fluviais, marítimas e portuárias, que teve início em Santarém, realizando ali é um excelente trabalho.

Aliás, o Grupo MEGA, que está muito bem administrado, é hoje habilitado para atender qualquer outra operação no setor aquaviário, contando com equipamentos de primeira, voltado também para o transporte fluvial nos rios da Amazônia.

O Terminal Hidroviário de Cargas e Passageiros de Santarém anunciado pelo Governo do Estado, com certeza deverá ser inaugurado no próximo ano. Hoje Santarém movimenta diariamente um grande número de embarcações. Com certeza será uma grande festa.

A bela Marina, da cúpula do Grupo MEGA, como sempre muito gentil, em linha direta com o colunista agradeceu as notas publicadas. Isso é muito gratificante, porque nem todos fazem o mesmo. A gentileza dos Carvalhos é muito conhecida.

Mudança dos tempos. A Marinha Mercante Brasileira, nos anos 70, segundo o Comandante Álvaro Almeida, presidente do Centro de Capitães da Marinha Mercante, chegou a contar com mais de 200 navios, que faziam uma rota de longo curso.

As primeiras mulheres a participarem de tripulação de um navio mercante, foram as belas Enfermeiras Anna Nery, especialmente nos navios da série “Rosa da Fonseca”, do Lloyd Brasileiro, que faziam toda a costa brasileira com passageiros até Manaus. (AS).

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
Previous
Next