Marinha realizou imposição da Medalha Amigo da Marinha em Belém

O Capitão-de-Longo Curso Ricardo Monteiro da Fonseca, Comandante de Navio Suezmax, da TRANSPETRO, recebeu a Medalha Amigo da Marinha em cerimônia apartada, realizada no Comando do 4º Distrito Naval (Com4ºDN), em Belém-PA. Ele foi recebido pelo Vice-Almirante Valter Citavicius Filho, que destacou suas atitudes de amor e vibração pela Marinha do Brasil e pela Marinha Mercante (foto).
O Capitão-de-Longo Curso Afonso de Almeida Corrêa, Diretor do Centro de Capitães da Marinha Mercante, participou do encontro com o Comandante do 4º Distrito Naval e debateu, na ocasião, assuntos como o desenvolvimento regional e a segurança da navegação no Pará.

Aquele Projeto de um Deputado mal informado ameaça a Segurança da Navegação

Todos aqueles que conhecem de perto o especial serviço de Praticagem, se surpreenderam com o Projeto de Lei, apresentado pelo Deputado Federal do MDB, Alceu Moreira, já que o mesmo representa sem qualquer contestação uma grande ameaça a segurança do tráfego aquaviário, tanto nas manobras como nas singraduras a presença de Práticos é indispensável, do contrário os navios ficarão à deriva, isto, aliás, só poderia partir de um político que está completamente fora da realidade.
Ninguém mais que a Marinha do Brasil, poderia fazer o melhor, como vem sendo feito, isso porque a Praticagem é coisa séria e, além do mais, Práticos não se encontram nas prateleiras. Seria recomendável que esse Deputado, antes do que fez, fizesse uma viagem (bastaria uma viagem) no trecho Macapá/Santarém, para assistir de perto o quanto é penosa a função de um Prático.

Recordando os tempos do setor industrial da pesca

O setor industrial da pesca já funcionou em Belém com um grande número de empresas de grande porte, que, somados o número de barcos camaroeiros e piramutabeiros, chegavam a mais de 300 unidades, sendo o Pará um dos Estados que mais exportava camarão rosa, bem como o filé de piramutaba, que proporcionaram muitas divisas para o Brasil.
Hoje esse setor sobrevive graças ao trabalho irrepreensível do empresário Apoliano Nascimento, que vem dirigindo o SINPESCA no rumo certo, não deixando faltar a boa qualidade do peixe que abastece a nossa capital. Isto vem sendo comprovado.

Tribunal Marítimo realizou primeira sessão de julgamento presencial com sustentação oral por videoconferência

O Tribunal Marítimo desponta mais uma vez de forma pioneira nas soluções para driblar os entraves da pandemia e continuar “navegando a todo pano”: foi realizada a primeira sustentação online de um advogado durante julgamento presencial ocorrido no plenário desta Corte Marítima, localizada no Rio de Janeiro.
O advogado, dr. Marcel Nicolau Stivaletti, estava em Santos (SP) enquanto executava a sustentação dos embargos infringentes do processo n° 27.832/2013, do acidente e fatos da navegação envolvendo o N/M “YUSHO REGULUS”, de bandeira do Panamá, e o N/M “COAL HUNTER”, de bandeira das Ilhas Marshall, ocorridos no Porto de Santos, São Paulo, em 15 de setembro de 2012.
O Presidente do TM, Vice-Almirante Wilson Pereira de Lima Filho, explicou a iniciativa dessa modalidade de sustentação. “Vem atender a um pleito dos advogados que labutam no TM. A partir de agora, patronos com residência fora do estado do Rio de Janeiro que estejam impossibilitados de comparecer pessoalmente poderão realizar a sustentação oral online por videoconferência”.
Em 22 de abril, o Tribunal realizou a primeira Sessão de Julgamento por videoconferência em seus 85 anos de história. A iniciativa teve o objetivo de dar continuidade aos julgamentos enquanto perdurar o estado de emergência pela Covid-19. Em agosto, retornaram as sessões presenciais intercaladas com as realizadas por videoconferência.

MARESIAS

Muita gente hoje não sabe, mas dois ex-Ccomandantes do 4º Distrito Naval foram promovidos a Quatro Estrelas, em pleno exercício dessa função. O último foi o nosso bom amigo Almirante Ademir Sobrinho, gente da melhor qualidade.

O nosso amigo Comandante CLC Francisco Gondar além de Embaixador da IMO no Brasil, exerce outras importantes funções, na qualidade de Diretor do Centro de Capitães da Marinha Mercante, foi também Juiz Suplente do Tribunal Marítimo.

Muita gente do baixo, médio e alto Tocantins, continua sentindo saudades dos “Barcos Marabaenses”, que faziam sucesso, mesmo cruzando as Cachoeiras do Itaboca e Capitariquara conduzidos por experientes pilotos da própria região.

O atual Ministro da Saúde, General Eduardo Pazuello, não é bem um estranho a Amazônia. Tem ligação familiar com os Pazuello de Manaus, ligados a navegação fluvial, mas isto depois eu conto com os devidos detalhes. Anotem, por favor.

O Programa BR do Mar, que caminha para sair do papel, não está sendo bem-vindo. As mais importantes entidades representativas das categorias marítimas do Brasil estão se posicionando contra a presença de navios estrangeiros na cabotagem.

O número de Praticantes-Alunos, tanto no CIAGA-RJ como no CIABA-PA, é o menor dos últimos anos. No total não chegam a 300, isso porque a nossa Marinha Mercante se apresenta hoje com um número menor de navios, o que é muito lamentável.

A exportação dos mais variados produtos da região, a frente a soja, está aumentando cada vez mais através do porto de Vila do Conde. Melhor seria se já estivesse funcionando paralelamente a Hidrovia do Tocantins, sem o Pedral do Lourenço.

O tradicional Grupo H.Dantas não é nenhum estranho a região. Já operou por muitos anos na rota de cabotagem, com escala em nossa capital, onde mantinha, inclusive, a sua Agência exclusiva. Agora está de volta com a SULNORTE.

Pelo que se observa, tudo indica que teremos mais de uma chapa disputando a presidência da FENAVEGA na próxima eleição. Tudo muito bem, mas sempre é bom lembrar que “A união faz a força”. Depois eu volto ao assunto. (AS).

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
Previous
Next