Gratidão: O Comandante Manuel Pinho, que deixou o Comando da Capitania dos Portos, agradeceu em linha direta a colaboração

O Capitão-de-Mar e Guerra Manoel Pinho, em linha direta com o colunista, teve a gentileza de agradecer a grande colaboração desta coluna durante a sua passagem pelo Comando da Capitania dos Portos da Amazônia Oriental – CPAOR, que na verdade foi marcada por uma série de realizações, ele que por ironia do destino é paraense, aparecendo na foto com o colunista, seu amigo, e os armadores Breno Dias e Eduardo Carvalho. Movimentado para o Rio de Janeiro, continuará dando o brilho da sua capacidade e inteligência à nossa gloriosa Marinha.

Seu substituto, o também Capitão-de-Mar-e-Guerra André Luiz Martini Vieira, que chegou à capital paraense imbuído dos melhores propósitos, por certo dará continuidade ao trabalho desenvolvido pelo seu antecessor, aliado a grande equipe que serve nesta importante OM da Marinha, por sinal do seu gênero uma das mais movimentadas do País.

Estaleiro RIO MAGUARI contribuindo para a empresa SULNORTE

O mega estaleiro Rio Maguari, portador do SELO de maior construtor de embarcações fluviais da América do Sul, assinou contrato com a empresa SULNORTE para a construção de um possante rebocador azimutal, cuja embarcação será dotada dos mais poderosos equipamentos de navegação, tudo dentro da mais moderna técnica naval.
Aliás, ainda possivelmente no decorrer deste semestre, um outro grande contrato para a construção de uma série de rebocadores azimutais que terá interveniência financeira com Recursos do Fundo de Marinha Mercante. A SULNORTE, conforme já informamos anteriormente, está estabelecida em Santarém e Vila do Conde.

Guarda Portuária da CDP já serviu de modelo graças ao seu grande desempenho

A Guarda Portuária da CDP – Companhia Docas do Pará, que chegou a funcionar com um efetivo de mais de 300 homens altamente adestrados, graças aos seus exercícios proporcionados pelo Exército Brasileiro e pela Marinha do Brasil, chegou a servir de modelo para outras Companhias Docas, inclusive do Sudeste. Participava inclusive do desfile de 7 de setembro, com Uniforme de Gala. Hoje isso não acontece mais. Foi tão importante para a estatal que chegou a ter no seu Comando um General da Reserva, bem como um Oficial da Reserva do Corpo de Fuzileiros da Marinha do Brasil.
Hoje, mesmo contando com participantes de perfil especial, o seu efetivo está reduzido, até mesmo no cais do porto de Belém onde poucos navios estão aportando. Terceirização jamais…

Um dos maiores navios-boiadeiros já operou em Vila do Conde

O porto de Vila do Conde já recebeu um dos maiores navios-boiadeiros, no auge da exportação de bois vivos para o Líbano, recebendo 16.000 animais, manobrado pelos Práticos da Barra. Foi o maior embarque que já aconteceu no referido porto, sem nenhum problema.
Uma particularidade, que muitos desconhecem, o Comandante desse navio, pela sua constante rotatividade, viajou sempre acompanhado da esposa e filhos. Muito bom.

Em fevereiro barcos camaroeiros estarão retornando do alto-mar

A partir do próximo mês de fevereiro os barcos camaroeiros, que se encontram em alto-mar, já estarão retornando a Belém, após a captura de camarão-rosa para comercialização em nossa capital e exportação do produto, que hoje, aliás, o preço no supermercado já passa de R$ 100 o quilo.
Alguns anos passados, quando um grande número de empresas voltadas para a indústria da pesca funcionavam em nossa capital, tinha barco que com um mês retornava do alto-mar trazendo até 20 toneladas da espécie, isto hoje não acontece mais.

Até parece que “Forças Ocultas” impedem a derrocagem do Pedral do Lourenço

Continuam os comentários no setor de que está existindo uma “Força Maior”, que entrou no circuito com o objetivo de continuar retardando cada vez mais a derrocagem do Pedral do Lourenço e a retirada de outros obstáculos, que daria condições de livre navegação através da Hidrovia do Tocantins.
Todo mundo sabe que com o funcionamento pleno a referida Hidrovia seria muito mais econômico a movimentação de variados produtos da região para exportação através do porto de Vila do Conde, pelos comboios integrados durante o ano todo. O tempo passa e nada acontece. Triste.

MARESIAS

Hoje na ZP-1 (Zona de Praticagem do Rio Amazonas) a maior do mundo, conta com profissionais das diversas categorias, exercendo funções de PRÁTICO devidamente concursados e, posteriormente, após o período de Praticagem, habilitados para o exercício da função. Da última Turma fez parte um Médico, que veio de Salvador-BA. Já está fazendo parte da escala.

O Estaleiro BIBI, que funciona em Manaus, vencedor da Concorrência para a construção de um Navio de Assistência Hospitalar- NASH, para o Comando do 4º Distrito Naval, com recursos do Governo Federal, segundo manda o Contrato, terá que entregar a referida embarcação dentro de 20 meses. Vai atender a Jurisdição desse Distrito Naval, isso na Amazônia Oriental.

O novo Comandante da Capitania dos Portos da Amazônia Oriental-CPAOR, o Capitão-de-Mar-e-Guerra André Luiz Martini Vieira, já está em pleno exercício da função, sendo por sinal a primeira que desempenha após sua nomeação a esse posto. Chegou imbuído dos melhores propósitos, para dar continuidade ao excelente trabalho do Comandante Manoel Pinho.

Para quem não sabe, informamos que o Terminal SOTAVE, localizado na Ilha do Outeiro, dispõe de calado para receber navios de até 70 mil toneladas. Ali já aportou um NT da Transpetro, que operou na sua descarga de derivados de petróleo, no Sistema Ship-To-Ship, e outros cargueiros de grande porte que na ocasião carregavam madeira semi-industrializada.

Muita gente até hoje não sabe que aqueles modernos catamarãs que fazem a travessia Santos-Guarujá-Santos, foram construídos por um Estaleiro paraense, por encomenda do Governo do Estado de São Paulo, todos eles por sinal chegaram à cidade de Santos com suas próprias máquinas. Os referidos bi-cascos já foram, inclusive, objeto de muitos elogios, merecidamente.

A CDP mesmo sem grande movimento comercial no porto de Belém, hoje essa estatal financeiramente conta com os bons resultados dos portos de Vila do Conde e de Santarém, na sua grande maioria proporcionados pela grande movimentação de grãos, inclusive, e ainda mais agora com uma administração que vem demonstrando muito dinamismo, trabalhando sem alardes.

Bons tempos. CDP-Companhia Docas do Pará, na verdade, já teve também seus dias de glória. Alguns anos passados esta estatal contava a sua disposição, no cais do porto, com um rebocador, denominado “Rio Acará” e uma Lancha-Executiva de grande velocidade, para uso da Diretoria qualquer momento, inclusive viagens rápidas para Vila do Conde, sem nenhum problema.

Sem qualquer contestação, grande parte do Sucesso do porto de Vila do Conde deve-se também aos Práticos da Barra que muito colaboraram para a entrada de navios de maiores calados, através do Canal do Quiriri, sem nenhum problema, graças ao elevado adestramento desses Profissionais que são sem dúvida verdadeiros Zeladores do Patrimônio Público e Privado. Repetimos. (AS).

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
Previous
Next