Manobrasso Operações Marítimas Inteligentes finalizou com eficiência mais uma operação de salvatagem completa

Desta vez, a Cábrea “Rio Branco”, adquirida recentemente em parceria com o Grupo Reicon, juntamente com uma equipe especializada e experiente, fez o resgate de dolfins submersos no Terminal da Vale em São Luiz-MA.
A Cábrea “Rio Branco” tem capacidade de 24 ton, além de sistema de fundeio, geradores auxiliares, acomodação para até 12 tripulantes, tanques de água potável e de combustível.
A Cábrea encontra-se pronta e disponível para atender clientes do Arco Norte, especialmente Maranhão, Pará, Amapá e Amazonas, nas mais diversas operações marítimas, de salvatagem, expansão de terminais marítimos, movimentações de cargas de projetos. Duas fotos da importante operação, por sinal, muito elogiada.

Falta de apoio financeiro às empresas de navegação fluviais regionais

Lamentavelmente, até por falta de apoio do Governo Federal, com relação a financiamento de embarcações fluviais especializadas para o transporte de grãos, nenhum grupo regional conseguiu entrar nesse mercado. As exigências impostas pelos operadores financeiros impedem as empresas regionais de fazerem qualquer encomenda.
Conforme já informamos anteriormente, os navios porta-contêineres que operam na cabotagem cruzando o rio Amazonas até Manaus, liquidaram com o sistema rodo-fluvial, que era praticado pelas empresas regionais no transporte de produtos da Zona Franca de Manaus para São Paulo.

ARCON consignando elogios pelo bom trabalho que vem realizando

Totalmente ao contrário dos últimos anos do Governo passado, quando quem mandava e desmandava na ARCON era um Deputado Federal, hoje esse órgão do Governo Federal, está no rumo certo, cumprindo as suas atribuições com a mais absoluta regularidade em todas as direções de sua Jurisdição, consignando muitos elogios, mantendo inclusive uma especial parceria com a Capitania dos Portos.
É oportuno, sem favor nenhum, destacar o nosso Governador Helder Barbalho, que vem dando também total apoio para o setor aquaviário, de muita importância para os ribeirinhos em grande parte, tendo em vista que os rios são as estradas naturais.

Rodoviários poderão perder mercado com importação de navio para a cabotagem

As entidades ligadas ao setor rodoviário, não estão aceitando pacificamente a aprovação do Programa BR do MAR, que envolve a importação de navios estrangeiros para fazer a rota de cabotagem, ou seja, atendendo toda costa brasileira, oferecendo menores custos que no sistema rodoviário.
Os marítimos brasileiros também não escondem a grande apreensão, que com a importação de navios estrangeiros, os armadores poderão insistir no embarque de profissionais estrangeiros, com mão-de-obra a baixo custo também, como já aconteceu nos navios de empresas de capital estrangeiro que operam no Brasil.

BEIRA DO CAIS

Causou grande satisfação no setor a nomeação do Almirante Rodolfo Sabóia para a presidência da ANP–Agência Nacional de Petróleo. Na última vez que ele bordejou por Belém, almoçamos no “Lá em Casa”, na Estação das Docas, há um bom tempo. É gente muito fina.

O nosso grande amigo dr. Luiz Otávio de Oliveira Campos, que foi Vereador, Deputado Estadual, Deputado Federal e Senador, posteriormente Secretário Nacional de Portos, goza de especial conceito junto às Forças Armadas. É portador das mais altas honrarias.

Mesmo com autorização do TCU-Tribunal de Contas da União, até o momento não foi levado a leilão o Terminal Marítimo do Porto de Fortaleza – CE. O referido Terminal foi construído em 2014, num investimento de R$240 milhões. Com a suspensão dos Cruzeiros ficou a ver navios…

Ainda na área portuária. O porto público (RODWAY) de Manaus, que passou a ser administrado por um grupo privado, passou por uma completa ampliação, mas no momento, com a ausência dos grandes navios de turismo estrangeiros, está recebendo apenas embarcações de menor porte.

Dois projetos deixados pelo saudoso amigo armador e empresário Luiz Rebelo Neto, ainda poderão se tornar realidade, ou seja, a exportação de pirarucu e a transformação do catamarã “Amazonas” em um hotel-flutuante para fazer a rota Belém/Manaus/Belém com escalas. Questão de tempo.

O Diretor Comercial do estaleiro RIO MAGUARI, engenheiro-naval-professor dr. Fabio Vasconcellos, que é um gentleman, hoje é referência internacional. Fazendo parte inclusive de importante entidade com sede em Nova Iorque. É presidente também do SINCONAPA.

Nosso amigo armador Relton Osvaldo Pinto, não brinca em serviço. Diariamente ele bordeja por Vila do Conde, ele que agora é também o presidente da nossa SOAMAR-Belém, onde deu partida a um grande trabalho, juntamente com sua seleta Diretoria.

Vem aumentando cada vez mais o número de jet-skis em nossa capital, isto observa-se nos finais de semana, muito especialmente na Guajará e nos paranás nas proximidades de Belém com entradas pelo rio Guamá, num colorido muito especial.

Tudo indica que dentro em breve embarcações velozes e confortáveis de médio porte passarão a fazer também, diariamente, a travessia para Cotijuba, com saídas de Icoaraci, tudo com o objetivo de alavancar cada vez mais o turismo regional. Voltaremos ao assunto.

Algumas Unidades que hoje fazem parte da Força-Tarefa do Grupamento de Patrulha Naval do Norte, foram construídas em Fortaleza pelo tradicional estaleiro INACE, por sinal, o único que funciona na capital cearense, capitaneado pelo empresário Gil Bezerra. (AS).

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
Previous
Next