Grupo Atlântica Matapi com extraordinário resultado nas Operações Marítimas e Portuárias em 2020 agora com novos contratos

Segundo fonte do conhecido e conceituado Grupo Atlântica Matapi, que vem ao longo dos anos em diversos segmentos ligados ao setor, teve em 2020 um extraordinário crescimento na área ligada a operações marítimas-portuárias no atendimento a importantes empresas, tanto no sistema convencional como no Ship-To-Ship, resultado que se deve também ao jovem armador e empresário dr. Thiago Pinto, PHD no assunto, da nova geração.
Graças ao especial trabalho desse Grupo, o início de 2021 foi marcado com novos contratos, muito especialmente em Vila do Conde e em outros Estados, onde hoje já está também estabelecido, como Amapá, Amazonas e Maranhão, devendo brevemente chegar também no Ceará. Na foto, o Senador Zequinha Marinho com o jovem armador Thiago e o seu genitor Relton Osvaldo Pinto, presidente do Grupo Atlântica Matapi. (Foto: Luiz Celso).

Embarcação de Turismo na rota de Marabá não aconteceu

Se já tivesse acontecido a derrocagem do Pedral do Lourenço e outros obstáculos mais do rio Tocantins, dando condições de livre navegação, permanente, a cidade de Marabá estaria servida por uma moderna embarcação de classe turística de grande velocidade, exclusiva para o transporte de passageiros, com saídas de Belém escalando em diversos portos interioranos. Infelizmente, a elogiável iniciativa de um conhecido empresário da região deixou de acontecer, pelo menos até o momento.

Aumenta o número de Mercantes Brasileiros desempregados

Aumentou consideravelmente o número de mercantes brasileiros desempregados, o que é muito lamentável, agora até com uma certa dificuldade para os jovens Praticantes-Oficiais, saídos do CIABA – Centro de Instrução “Almirante Braz de Aguiar”, para fazerem o estágio final de um ano a bordo, para a devida qualificação como 2° Oficial de Náutica e 2° Oficial de Máquinas. Espera-se que a TRANSPETRO, detentora da maior frota de navios, absorva o maior número deles, como, aliás, acontece todos os anos.

Ainda as premiações no encerramento do PSNA-202

As premiações do Programa de Segurança da navegação na Amazônia – 2020, deixou muito a desejar, já que o mesmo quando foi instituído, teria como objetivo principal premiar no seu encerramento as empresas de navegação fluvial que mais se destacaram no cumprimento das ordens recomendadas durante o ano, isto na verdade não aconteceu, como foi observado, num universo de importantes empresas, sem qualquer demérito para aqueles que foram premiados. Elogios sempre consignados, mas a crítica também, com todo respeito, quando necessária.

BOM JESUS NAVEGAÇÃO pioneira na região das Ilhas com dois bi-cascos na rota de Breves

A empresa de navegação BOM JESUS, que há muitos anos vem liderando o transporte de passageiros para a região das Ilhas, ultimamente com dois velozes catamarãs inclusive fazendo a rota Belém/Breves/Belém, não conseguiu tirar da gaveta um Projeto para construção de mais dois bi-cascos, para atender também diariamente outras cidades dessa região, tudo, lamentavelmente, em função da pandemia voltada para a COVID-19.
Essa empresa, por sinal, opera em nossa capital um confortável Terminal Fluvial de Cargas e Passageiros dentro das normas recomendadas pela ANTAQ – Agência Nacional de Transportes Aquaviários.

BEIRA DO CAIS

O poderoso Grupo CARGILL vem tendo um extraordinário desempenho em diversas direções da Amazônia, proporcionado empregos, o que também é muito bom.

A Cábrea “RIO BRANCO” agora da bandeira do conceituado Grupo REICON, vem sendo bastante solicitada para operações em conjunto com o Grupo MANOBRASSO.

Considerando que o novo Prefeito de Belém está também imbuído com os melhores propósitos, para alavancar o turismo paraense, lembramos a linha fluvial Belém/Mosqueiro/Belém.

Nosso bom amigo Cláudio Portugal de Viveiros – Almirante-de-Esquadra, já está em pleno exercício de presidente do Supremo Tribunal Militar em Brasília, ele que tem muitos amigos em Belém.

O nosso Governador, que vem dando uma atenção muito especial ao setor aquaviário, bem que poderia atender uma velha reivindicação da população de Mosqueiro, ou seja, uma linha fluvial.

Nos bons tempos da ENASA, antes de ser estadualizada, essa empresa operou com cinco catamarãs de grande porte, na rota de Belém/Manaus/Belém. Dois de classe turística e três de classe popular.

Na ocasião era Agente da Estatal a TRANSNAV, que tinha no seu Comando o bom caráter dr. Paulo Brandão, fundador inclusive em Vila do Conde do CONVICON, hoje do Grupo Santos Brasil.

A navegação de cabotagem, hoje operada em grande parte por três empresas de navegação, teve um bom crescimento em 2020, especialmente na rota de Manaus.

O ambiente nos meios marítimos da TRANSPETRO no Rio de Janeiro, não está sendo muito cordial, em função de algumas medidas que estão sendo tomadas. Lamentável.

Nosso especial amigo armador e empresário, Dr. José Rebelo III, presidente do Grupo REICON, de vez em quando bordeja pela Capitania dos Portos do Rio de Janeiro. Comte. Jaques é seu amigo.

Para uma melhor fiscalização, tanto para a Capitania como para a ARCON, seria muito melhor o funcionamento de mais dois Terminais Fluviais em nossa capital.

Sendo a melhor localização dos mesmos, um nas proximidades do Porto do Sal e outro na Praça Princesa Isabel-Condor, prometidos pelo ex-Prefeito Zenaldo Coutinho. (AS).

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
Previous
Next