Visita de serviço a Belém do Comandante de Operações Navais – CON da Marinha do Brasil dentro em breve

O ex-Comandante do 4° Distrito Naval, hoje Almirante-de-Esquadra Alípio Jorge Rodrigues da Silva – Comandante de Operações Navais – CON da Marinha do Brasil, que aparece na foto com sua distinta esposa dra. Mara Silva e o casal amigo empresário-engenheiro dr. Carlos (Ana Luiza) Nascimento, poderá brevemente voltar à capital paraense em visita de serviço, cuja data informaremos logo após a sua confirmação.
Com um grande grupo de amigos em Belém, por certo receberá merecida homenagem da nossa SOAMAR-Belém, entidade da qual foi Presidente do Conselho Superior, prestigiando sempre as reuniões acompanhado de seu Estado-Maior. Sua passagem pelo Comando do 4° Distrito Naval foi marcada por um extraordinário trabalho. BEM-VINDO. (Foto: Luiz Celso – arquivo da coluna).

HONRA AO MÉRITO

Hoje a coluna faz um destaque muito especial ao bom soamarino, educador Dr. Mecenas Gonçalves (foto), que comanda agora um dos mais movimentados Escritórios de Advocacia em nossa capital, mantendo inclusive no mesmo uma movimentada Carteira voltada para Direito Marítimo e Portuário, muito bem assistida por profissionais de alto nível.
Fundador do IESAM – Instituto de Estudos Superiores da Amazônia., que foi responsável pela formação de muitos jovens nos cursos ministrados ao longo de muitos anos, ele que também faz parte da Diretoria do SOAMAR-Belém, é também portador das mais importantes honrarias, entre elas do Mérito Tamandaré e do Mérito Naval da gloriosa Marinha do Brasil. (Foto: Luiz Celso).

DECANO da Praticagem da Barra de volta ao batente

Depois de um período afastado de suas funções na secular Praticagem da Barra, o decano PHD em assuntos de Praticagem, o bom caráter Miguel de Jesus Salgado, com muita força e vigor já está de volta ao batente, ele que também goza de extraordinário conceito no setor, sendo também Diretor da SOAMAR-Belém e portador do Mérito Tamandaré e do Mérito Naval, em reconhecimento aos relevantes serviços prestados à Marinha do Brasil.
Aliás, a Praticagem da Barra, que mantém um Quadro seleto de PRÁTICOS, é há bastante tempo referência internacional, empresa das mais bem organizadas, que no ato da inauguração da sua nova sede, consignou os melhores elogios de altas patentes da nossa Armada. O colunista assistiu como também um dos seus convidados.

PRATICAGEM

Entre as diversas Zonas de Praticagem que funcionam no Brasil, destaca-se a ZP-1 (Rio Amazonas), por sinal a maior do mundo com 1.300 milhas náuticas, atravessando os Estados do Pará, Amapá e Amazonas, hoje atendida por aproximadamente 90 PRÁTICOS, verdadeiros
heróis no desempenho da função, conduzindo com a mais absoluta segurança os grandes navios e consignado sempre muitos elogios.

Até agora o navio “HAIDAR” continua naufragado em Vila do Conde

Já estamos em pleno 2021 e até o momento o navio-boiadeiro “HAIDAR” ainda não foi reflutuado, cuja Concorrência foi vencida pelo Grupo Superpesa, numa operação de cerca de R$ 45 milhões, incluindo a movimentação do mesmo para outro local, liberando com isso outros berços para atracação de navios, trazendo maiores rendimentos para a CDP-Companhia Docas do Pará.

CDP-Companhia Docas do Pará balançando mais para privatização

Já está correndo solto na “Beira do Cais” que já existem dois importantes grupos multinacionais, aliados a outros dois da região, com interesses voltados para a CDP-Companhia Docas do Pará, isto com relação a privatização da estatal e, correndo por fora, está o Governo do Estado do Pará, objetivando a sua estadualização.

Como se sabe, a CDP, além do porto de Vila do Conde, que hoje está na lista dos mais movimentados do país, é detentora de outros portos, inclusive o de Santarém, que está crescendo cada vez mais, e ainda outros próprios de grande valor. Para os entendidos ela balança mais para a privatização. Eu vou, mas eu volto ao assunto.

BEIRA DO CAIS

O Hospital Naval de Belém – HNBe, que recentemente completou 62 anos de atividades, já teve alguns paraenses na sua direção, entre eles o bom caráter nosso amigo dr. Francisco Palácios, que é gente da melhor qualidade.

A conhecida e conceituada empresa de navegação TRANSDOURADA, do Grupo GDIAS, está hoje entre as melhores especializadas no transporte de derivados de petróleo, em diversas direções da Amazônia, com uma frota especializada para tal.

A mais nova SOAMAR-Sociedade dos Amigos da Marinha, que hoje está funcionando na cidade de Goiânia-GO, faz parte da Jurisdição do Comando do 7° Distrito Naval em Brasília. No seu quadro tem alguns paraenses. Muito bom.

O Terminal de Cargas e Passageiros da CELTE Navegação, está passando por uma completa repaginação para melhor atender o embarque e desembarque de passageiros, tudo dentro
das normas recomendadas pelo órgão competente.

Hoje a Praticagem Brasileira, envolvendo todas as ZPs, conta também como PRÁTICOS um bom número de Oficiais Superiores da Reserva da Marinha, Oficiais da Marinha Mercante e profissionais de cursos superiores de diversas especialidades.

Elogiável sob todos os aspectos a maneira como a Diretoria da CDP vem agindo com seus servidores com mais de 60 anos de idade, em função da pandemia voltada para a COVID-19, procurando ampará-los da melhor maneira possível. Nota 10.

Pelo menos quatro estaleiros regionais que funcionavam em Belém e Manaus, encerraram as suas atividades. Enquanto isto, o RIO MAGUARI continua crescendo, graças a sua elevada mão-de-obra e seriedade absoluta no que faz.

Hoje na Marinha Mercante Brasileira, diversas jovens formados pelo CIAGA-RJ e pelo CIABA-PA, já galgaram o Comando de navios, no posto de Capitão-de-Longo Curso. A primeira delas foi a paraense Hildelene Lobato.

Mais um porto, onde funcionou uma empresa de navegação, no litoral de Belém, está sendo anunciado novamente para venda. Da primeira vez não teve interessados, mesmo sendo em local privilegiado.

Muita gente não sabe, mas o jovem presidente do SINDARPA, também Diretor da TRANSDOURADA e do poderoso Grupo GDIAS, é PHD, com curso realizado no exterior, de fina educação, é inclusive portador do Mérito Tamandaré.

Pelo menos até agora a Bancada Federal do Pará nada realizou em defesa da nossa navegação fluvial. Só lari-lari…. ao contrário dos Estados do Amazonas e de Rondônia. Todo cuidado é pouco com o BR do MAR, como já informamos.

A FENAVEGA, que tem na presidência um armador fluvial da Amazônia, com certeza já observou no referido Programa alguns itens que poderão prejudicar o tráfego fluvial na Amazônia, portanto, olho vivo no Senado. (AS).

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
Previous
Next