TECON/CONVICON aumenta a cada ano a sua movimentação de containêres em Vila do Conde apresentando bons resultados

O Terminal de Contêineres – TECON/CONVICON, que funciona no porto de Vila do Conde, que pertence ao poderoso Grupo Santos Brasil, graças ao excelente serviço que oferece, vem aumentando cada vez mais a sua movimentação, como aconteceu no exercício passado. Muito bem dirigido, contando ainda com uma equipe de trabalhadores de alto nível e equipamentos importados de última geração.
De seu gênero é o único que funciona no porto de Vila do Conde, aparecendo na foto num dia de muita movimentação. O referido Terminal ainda foi por alguns anos dirigido pelo Grupo TRANSNAV, que tinha na sua direção o grande expert em assuntos portuários, o empresário Dr. Paulo Roberto Brandão, um grande amigo deste colunista, com a denominação inicial de CONVICON. (Foto: Luis Celso).

Ainda a Premiação no encerramento do PSNA/2020 pela CPAOR

Das empresas de navegação fluviais de grande tradição, que prestaram relevantes serviços em 2020, nenhuma delas foi premiada quando do encerramento do Programa de Segurança da Navegação da Amazônia – PSNA/2020, tanto de cargas como de passageiros, isto jamais aconteceu. Que Comissão foi essa, já que o PSNA foi instituído com a finalidade de premiar as empresas de navegação fluvial que mais se destacaram durante o Ano no cumprimento das recomendações dessa importante OM da nossa gloriosa Marinha.
Nada contra a premiação de outros segmentos, porque naturalmente se fizeram merecedores, apenas um comentário. Com certeza neste 2021 poderá ser como sempre aconteceu nos anos anteriores.

Ainda a linha fluvial diária Belém/Mosqueiro/Belém

Informações chegadas à coluna, dão conta que representantes de comunidades de Mosqueiro ainda neste semestre deverão solicitar audiência com o novo Prefeito de Belém, para reivindicar uma linha fluvial entre a capital e a Ilha diariamente, uma antiga promessa de campanha do ex-Prefeito Zenaldo Coutinho, que infelizmente não foi cumprida.
Com o especial potencial turístico que Mosqueiro oferece, seria muito bom para um grande desenvolvimento da Ilha, como aliás já aconteceu há alguns anos passados. Para que isto volte a acontecer será, com certeza, necessária uma subvenção por parte da Prefeitura, não faltando embarcações especializadas para fazer diariamente uma viagem de ida e volta, com passagens a preços mais econômicos.

Cabotagem ainda é o assunto dominante no setor

O Programa BR do MAR está devidamente aprovado, mas, segundo comenta-se no setor, ainda vai demorar um pouco as operações dos navios estrangeiros destinados às operações na cabotagem, já que o assunto envolve uma série de formalidades.
Com o anúncio das operações de mais navios nesse setor, o sistema rodoviário poderá entrar em colapso, isto porque os fretes através desse modal, com certeza, terão menores custos.
As entidades representativas das diversas categorias marítimas não aceitarão pacificamente a contratação de mercantes estrangeiros, tendo em vista o grande número de mercantes brasileiros desempregados, saídos do CIAGA-RJ e do CIABA-PA.

Aglomeração

As reclamações continuam no trecho da Siqueira Mendes entre Praça da Sé e Praça do Carmo
As reclamações são constantes, com relação a aglomeração de pessoas diariamente na Rua Siqueira Mendes, perímetro entre a Praça da Sé e a Praça do Carmo, impedindo o livre trânsito, o que não é recomendável em tempo de pandemia, voltado para a COVID-19. Uma providência urgente se faz necessária por quem de direito, para solucionar de vez o problema.
É muito oportuno repetir que Belém dispõe de sofisticado Terminal Hidroviário de Passageiros, localizado em área central, em plena Avenida Marechal Hermes, que oferece o melhor conforto possível e absoluta segurança. Os políticos paraenses devem sim defender esse Terminal próprio do Governo do Estado, que foi construído para oferecer o melhor.

BEIRA DO CAIS

Com duas Escolas de Marinha Mercante no País, ambas da nossa Marinha do Brasil, é inadmissível a contratação de marítimos estrangeiros pelas empresas de navegação, que operam na rota da cabotagem.

Infeliz do órgão que não aceita as críticas construtivas, que na maioria das vezes servem para o bom administrador colocar em ordem as falhas, que são naturais em qualquer empresa. Só elogios não tem nenhum sentido.

O Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, que realiza nesta Pasta um extraordinário trabalho, já anunciou que até 2022 diversas Companhias Docas poderão ser privatizadas, mas rola a informação de que uma será estadualizada.

O SINDARPA – Sindicato das Empresas de Navegação Fluvial e Lacustre e das Agências de Navegação no Estado do Pará, que tem o jovem armador Breno Dias na presidência, vem colaborando com os órgãos públicos, quando solicitado.

Nota-10 para o SINPESCA – Sindicato das Indústrias de Pesca, pela iniciativa muito especial que vem tendo, graças a uma colaboração de seu presidente, empresário Apoliano Nascimento, através da SOAMAR, nesta nova gestão. Relton é pé-quente.

Alguns Almirantes-de-Esquadra, que quando CMG foram Comandantes da Capitania dos Portos: Renato Miranda, Hernani Goulart Fortuna e Marcus Vinícius, estes dois últimos voltaram como vice-Almirantes para exercerem o Comando do 4° DN.

Em alguns países de primeiro mundo, os PRÁTICOS embarcam nos navios para realização das manobras, através de helicópteros, deixando aquela penosa escada conhecida como “quebra-peito” de lado. Nota-10, porque eu volto com detalhes.

A HENVIL Transportes que é detentora de uma frota muito especial de “ferry-boats”, mantém com a mais absoluta pontualidade os seus horários de saídas e chegadas na rota do Marajó, em certas viagens até contabilizando prejuízos.

O mega estaleiro RIO MAGUARI deverá entregar em tempo recorde, um moderno Rebocador Azimutal, para o Grupo SULNORTE, que deverá operar no porto de Vila do Conde. Essa nova embarcação está recebendo a mais moderna técnica naval.

O pleno funcionamento da Hidrovia do Tocantins, depois da derrocagem do Pedral do Lourenço e demais obstáculos, beneficiará cinco Estados, ou seja, Mato Grosso, Goiás, Tocantins, Maranhão e Pará, valorizando mais a região.

Muita gente não sabe, mas a sede da SOAMAR-BRASIL já teve sua sede funcionado na Amazônia por oito anos seguidos, sendo quatro em Belém e quatro em Manaus. Foram presidentes o saudoso Roberto Massoud e Mariano Rebelo.

As tarifas cobradas nas travessias fluviais em todo o Estado do Pará são as mais econômicas de todo o Brasil. Quem quiser confirmar, basta dar em bordejo na capital maranhense. As nossas embarcações são as mais confortáveis. Isto já comprovamos. (AS).

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
Previous
Next