NOVO CONTRA-ALMIRANTE MÉDICO: Antes exerceu quando ainda CMG as funções de Diretor Geral do Hospital Naval de Belém – HNBe

Ao contrário da Platina que no momento da foto que aparece com o colunista, hoje o nosso grande amigo Dr. Vicente Garcia já ostentava outra com DUAS ESTRELAS, ou seja, a de CONTRA-ALMIRANTE – MD, conforme sua promoção recente, publicada pela coluna em absoluta primeira mão.
O novo CONTRA-ALMIRANTE que exerceu com especial destaque em Belém as funções de Diretor do Hospital Naval de Belém – HNBe, tem muitos amigos na capital paraense, inclusive este colunista com quem aparece na foto, quando ainda no exercício dessa importante função, de onde foi movimentado para a capital federal. (Foto: Luiz Celso).

ATENÇÃO ESPECIAL: Novo Comandante da Capitania dos Portos num contato cordial com o colunista

Em linha direta, o colunista teve a grata satisfação de receber atencioso telefonema do atual Comandante da Capitania dos Portos da Amazônia Oriental – CPAOR, Capitão-de-Mar e Guerra André Luiz Martini Vieira, que assumiu recentemente essa importante função em nossa capital, ele que chegou à capital paraense imbuído dos melhores propósitos.
Oficial Superior da nossa gloriosa Marinha, com um perfil muito especial, tem tudo na verdade para realizar um grande trabalho, dando com certeza a atenção merecida para todos aqueles que se dirigem a essa OM, que seu gênero, repetimos, é umas das mais movimentadas do País, com mais de 170 anos de atividades. Quanto ao convite para a “PESCADA AMARELA”, foi devidamente anotada. CONTE COM A GENTE.

Estaleiro RIO MAGUARI cresce cada vez mais na construção naval

O mega estaleiro RIO MAGUARI, o maior construtor de embarcações fluviais do Brasil, com reconhecimento internacional, está agora também habilitado para construir qualquer tipo, inclusive navios para a Marinha do Brasil, contando para tal, com um corpo técnico altamente qualificado, inclusive no exterior, especialmente engenheiros-navais.
Aliás, vale recordar que o estaleiro RIO MAGUARI tem consignado muitos elogios até do exterior, pela extraordinária qualidade da sua mão-de-obra, inclusive da Argentina, onde o seu SELO também está presente, com uma grande frota de Barcaças Graneleiras.

Brasil já contou com uma grande frota de navios de cabotagem e longo curso

Muita gente não está acreditando que na década de 70 a Marinha mercante Brasileira contava com mais de 200 navios operando na linha de cabotagem e de longo curso, todas as empresas de capital brasileiro, aqui na Amazônia uma delas fazia viagens regulares para a Costa Leste dos Estados Unidos e para a Europa, denominada L. Figueiredo Navegação, com sede em nossa capital e a Companhia de Navegação Marítima NETUMAR, esta na capital amazonense.
Hoje de longo curso apenas a TRANSPETRO, subsidiária de transportes marítimos da Petrobras, detentora das maiores frotas de cabotagem e longo curso, com navios especializados para o transporte de derivados de petróleo.

Grandes Comboios Fluviais na rota de Vila do Conde através dos Estreitos

A Marinha, através do órgão competente, só autorizou o tráfego de grandes Comboios Fluviais, através dos Estreitos de Breves, vindos carregados de grãos, para exportação através do porto de Vila do Conde, procedentes de Miritituba no rio Tapajós, graças ao cumprimento de todas as recomendações, com a utilização de equipamentos modernos. Até o momento não foi registrado nenhum problema que comprometesse a segurança.
Hoje, cada comboio está transportando até mais de 40 mil toneladas de soja e outros produtos, fazendo essa rota com a mais absoluta segurança, cumprindo com toda regularidade o tráfego, sempre monitorado e a utilização permanente de equipamentos de comunicação. Isto é muito bom e nota-10.

BEIRA DO CAIS

Felizmente tudo indica que o ambiente no setor marítimo da TRANSPETRO voltou à normalidade, com ACT assinado inclusive, nada mais foi comentado sobre alguns navios com outras bandeiras. Isto é muito bom.

A nossa Universidade do Mar, que é o gigante CIABA – Centro de Instrução “Almirante Braz de Aguiar” em preparativos para instalar brevemente o PLANETÁRIO, muito bom para os futuros Oficiais Mercantes.

Estaleiro BIBI, que funciona em Manaus, já deu início à construção do Navio de Assistência Hospitalar – NasH, que se destina ao Comando do 4° Distrito Naval, cuja entrega deverá acontecer em dois anos.

Está correndo solto na “BEIRA DO CAIS”, o nome do Capitão-de-Mar e Guerra da Reserva da Marinha Alexandre Ernesto Correia Sampaio, que por sinal é dono de um currículo muito especial. Estamos de olho.

A primeira operação realizada no Terminal SOTAVE, foi feita por uma Agência de Navegação, através de um navio de grande porte, que recebeu na ocasião madeira semi-industrializada destinada à Europa, sem problemas.

No último mês de outubro, precisamente no dia 06, completou 5 anos que o navio “HAIDAR” naufragou no porto de Vila do Conde, quando em preparativos para suspender com cinco mil bois com destino à Venezuela.

O todo poderoso SINDIMAR – Sindicato Nacional dos Oficiais e Eletricistas da Marinha Mercante Brasileira, tem sido o verdadeiro defensor dos marítimos brasileiros. Tem inclusive uma movimentada Delegacia na capital paraense.

A capitania Fluvial de Santarém, conhecida como “Sentinela do Tapajós”, tem um movimento muito grande de embarcações. A maior movimentação, porém, é na rota de Manaus, isto desde a inauguração da Zona Franca.

O SINDARPA – Sindicato das Empresas de Navegação Fluvial e Lacustre e das Agências de Navegação no Estado do Pará, é uma das entidades ligadas ao setor considerada como uma das mais bem organizadas da Amazônia, gozando de grande conceito na área naval inclusive. (AS).

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
Previous
Next