CONGRESSO INTERNACIONAL: Tribunal Marítimo participa de 1º Congresso Internacional de Direito Marítimo, Portuário e Aduaneiro, em Angola

Nos dias 25 e 26 de fevereiro, do 1º Congresso Internacional de Direito Marítimo, Portuário e Aduaneiro. O evento foi realizado por videoconferência e foi organizado pela Associação Angolana, especializada em Direito Marítimo (AAEDM), com a participação de diversos países da CPLP, entre eles Angola, Brasil, Cabo Verde e Portugal. Assuntos como a Convenção de Hong Kong, a Convenção de Basiléia e a de Nairobi foram temas de discussão. O Congresso foi concorrido e a atuação, estrutura organizacional e atribuições do TM brasileiro despertaram o interesse dos participantes.
O Presidente do Tribunal Marítimo, Vice-Almirante Wilson Pereira de Lima Filho, palestrou no dia 25 sobre “O Tribunal Marítimo Brasileiro e o seu Papel na Segurança da Navegação”. No dia 26, o Vice-Presidente do TM, Juiz Nelson C. S. Filho ministrou sobre o tema “Procedimentos de Arresto de Navios no Brasil”. O advogado maritimista Doutor Bernardo Mendes Vianna também apresentou no evento sobre “Atualidades no Cenário Marítimo /Offshore Brasileiro”.

Novo Diretor da CDP – Companhia Docas do Pará

Causou grande surpresa no setor portuário, a nomeação e posse do novo Diretor de Gestão Portuária da CDP – Companhia Docas do Pará, o Capitão-de-Mar e Guerra da Reserva da Marinha, Alexandre Ernesto Corrêa Sampaio, que veio de Brasília. Seu antecessor não chegou a completar nem um ano na função.
O novo Diretor é portador de um perfil muito especial e com certeza vai realizar um grande trabalho de braços dados com competentes servidores desta empresa portuária.

Grandes navios mercantes estrangeiros na rota de Vila do Conde via Canal do Quiriri

Graças ao aumento de calado do Canal do Quiriri, que possibilitou a demanda de maiores navios na rota de Vila do Conde, como o que aparece na foto, conduzidos pelos competentes Práticos da Barra do Pará, sem maiores problemas, aumentando a movimentação do referido porto, que hoje faz parte da lista dos mais movimentados do país, administrado pela CDP-Companhia Docas do Pará.
O aumento do calado do Quiriri deve-se ao grande apoio da Marinha do Brasil com a colaboração da nossa secular Praticagem da Barra, juntamente com outras entidades ligadas ao setor e outros Grupos Multinacionais presentes em Vila do Conde. (Foto: Luiz Celso).

CATAMARÃS de primeiro mundo construídos em Belém

Aqueles modernos catamarãs encomendados pelo Governo do Estado de São Paulo a um estaleiro de Belém para o transporte de passageiros na rota de Santos/Guarujá/Santos, continuam consignando os melhores elogios pelo excelente conforto e desempenho muito especial, objeto de reportagens já publicadas no jornal “Tribuna de Santos”, inclusive.
Para atender a linha fluvial Belém/Mosqueiro/Belém, bastaria um deles, com passagens subvencionadas pela Prefeitura de Belém ou pelo Governo do Estado, como já aconteceu alguns anos passados.

BEIRA DO CAIS

Um grande amigo do colunista poderá ser futuramente o Representante no Brasil junto a IMO, em Londres na Inglaterra. Depois eu volto ao assunto.

Por falar na IMO, um mercante paraense Comandante-CLC Darlei Pinheiro, hoje Delegado do SINDMAR em Belém, já representou os marítimos brasileiros ali.

Observa-se hoje uma extraordinária organização administrativa no SINDARPA – Sindicato das Empresas de Navegação Fluvial e Lacustre e das Agências de Navegação no Estado do Pará. Nota-10.

Agora são quatro portos fluviais localizados no litoral que estão sendo anunciados para venda, por sinal, um deles tem calado para embarcações de grande porte.

A empresa proprietária do catamarã “AMAPÁ” espera futuramente colocar esse bi-casco de grande porte de volta ao tráfego, fazendo a rota de Manaus.

Mais uma empresa de navegação fluvial vai ampliar a sua frota com super-barcaças, para também participar do transporte de grãos. Muito bom.

A CODESP – Companhia Docas de São Paulo, já está na ponta da linha para iniciar o processo de privatização, assim como a CODESA-ES.

Nada melhor que um bom entendimento. A paz voltou nos meios marítimos de uma grande empresa de navegação, sediada no Rio de Janeiro. Muito bom.

Seriedade, é uma grande qualidade em tudo o que faz a conceituada empresa HENVIL Transportes, que tem a frente um homem de bem, meu amigo Daniel Pereira.

Grande trabalho da FENAVEGA – Federação Nacional das Empresas de Navegação Aquaviária, em defesa também da navegação fluvial da Amazônia. No seu timão um amazônida.

A Polícia Hidroviária Federal ficou mesmo só na promessa, infelizmente não aconteceu. O “bicho comeu” no meio do caminho, assim como a derrocagem do Pedral do Lourenço. (AS).

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
Previous
Next