MARINHA MERCANTE – Praticantes-Oficiais oriundos do CIAGA e do CIABA continuam aguardando embarque

Hoje perto de 300 Praticantes-Oficiais da Marinha Mercante, estão aguardando para realizar o estágio final a bordo dos navios mercantes brasileiros, durante um ano, para a devida obtenção da Carta de 2° Oficial de Náutica e 2° Oficial de Máquinas, para poderem desempenhar as devidas funções.
A única empresa de navegação de cabotagem e longo curso que poderia absorver o maior número deles, que é a TRANSPETRO, lamentavelmente não está fazendo, segundo informações chegadas à coluna, tendo inclusive navio dessa empresa realizando viagem internacional, sem nenhum Praticante a bordo. Até quando?

Setor portuário está tumultuado no Pará

Por tudo que está acontecendo na CDP-Companhia Docas do Pará, poderá ser abreviada a privatização ou estadualização de empresa, segundo comentários que estão acontecendo no setor portuário, com possíveis demissões, o que será muito lamentável, tendo em vista a situação que ora envolve também o serviço público em geral.
Conforme já anunciou o Ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas no máximo até 2022, todas as Companhias Docas serão privatizadas, duas delas, porém, balançando para a estadualização, portanto, seria mais prudente um acordo entre as partes para que seja evitado o pior.

CABOTAGEM – Navios estrangeiros que serãoimportados futuramente

Com as últimas providências do BR do MAR, que tem o total apoio do Ministério da Infraestrutura, referido Programa, na sua plenitude, deverá dentro em breve autorizar a importação de navios estrangeiros para operações na cabotagem brasileira, numa forte Concorrência como Sistema Rodoviário, já que os custos referentes aos fretes serão menores, podendo com isto gerar sérios problemas.
Enquanto isto as representações das entidades marítimas brasileiras, esperam que as tripulações dos navios que serão importados sejam de brasileiros, considerando o grande número de marítimos brasileiros desempregados

Na BEIRA DO CAIS continuam os comentários de substituição na CDP

Ontem corria solta na BEIRA DO CAIS, que a qualquer momento poderiam acontecer duas mudanças na Diretoria da CDP-Companhia Docas do Pará, surgindo o nome de Almirante da Reserva para a Presidência e de um Capitão-de-Mar e Guerra também da reserva para a Diretoria de Gestão Portuária, se será confirmado ou não, não temos certeza, porém repetimos: de onde sai fumaça com certeza tem fogo.
Tanto o atual Diretor-Presidente como o de Gestão Portuária, chegaram a Belém procedentes de Brasília, o primeiro caminhando para dois anos e o segundo um ano no próximo mês de maio, apenas o Diretor Administrativo e Financeiro é de Belém, cota dos Servidores, por conta do Estatuto. Resta aguardar os acontecimentos, porque em política tudo é possível, especialmente em repartições públicas.

Navegando
_________________________________
Lamentavelmente tem empresa de navegação que não vem prestigiando como deveria o SINDARPA, que é o verdadeiro defensor de todas elas na Amazônia Oriental, entidade que goza de muito conceito junto aos órgãos ligados ao setor.
__________________________________
Não será nenhuma surpresa se num futuro não muito distante,
isto é, depois das formalidades legais, uma mulher Oficial de Náutica, assumir o Comando de um super Comboio Fluvial, que faz a rota de Vila do Conde transportando de Miritituba grande tonelagem de grãos para exportação.
__________________________________
O SINDARPA – Sindicato dos Oficiais da Marinha Mercante, mais uma vez mostrou a sua força em defesa dos marítimos da TRANSPETRO, empresa de transportes marítimos da Petrobras, tudo chegou a um bom termo, sem prejuízos para ninguém.
__________________________________
Muita gente não sabe, mas a Bandeira das Escolas Mercantes, tanto do CIAGA no Rio de Janeiro como do CIABA em Belém, foi inspirada pela Bandeira da Escola de Marinha Mercante do CHILE. A ideia foi trazida pelo Almirante Eduardo Bacellar Leal Ferreira, após assistir uma cerimônia no país amigo, passando para o Centro de Capitães da Marinha Mercante.

BEIRA DO CAIS

O Grupo REICON, hoje atuando em outros segmentos, além da navegação fluvial, futuramente poderá entrar também em outras áreas, inclusive voltado para exportação.

Mesmo em tempo de PANDEMIA (Covid-19), a secular Praticagem da Barra do Pará continua permanentemente a postos, atendendo navios, seja dia ou noite, devidamente protegida.

Tem sim, ação na Justiça envolvendo o Terminal SOTAVE, localizado na Ilha do Outeiro, hoje da CDP-Companhia Docas do Pará. Deverá fazer parte da lista do próximo leilão.

Com o encerramento das atividades de diversos estaleiros, tanto de médio como de grande porte no Brasil, aumentou consideravelmente o desemprego também de engenheiros navais.

A Wilson, Sons uma das empresas com mais de 170 anos de Brasil, atua em diversos segmentos, inclusive mantendo um estaleiro “CINCO ESTRELAS” em Guarujá-SP.

A sua Agência em Belém, alguns anos passados, chegou a liderar a movimentação a movimentação de contêineres, através da Consulmar, cujo terminal funcionava na Sacramenta.

O Arco Norte, cuja movimentação de grãos cresceu consideravelmente nos últimos meses, também, com certeza, vai necessitar de novos Comboios Fluviais.

O Ministro da Infraestrutura Tarcísio Gomes de Freitas foi sem dúvida alguma o maior incentivador do Programa BR do MAR, que brevemente entrará em ação.

Dizem, não sei… que a ANTAQ está querendo entrar num assunto que pertence exclusivamente à DPC-Marinha do Brasil, que é a PRATICAGEM. Depois eu volto.

A concessão do porto de Itaqui-MA, tem sua concessão ao Governo do Estado do Maranhão ameaçada, isto porque o Governador Flávio Dino continua “cutucando” o Planalto….

São cinco navios fluviais convencionais de cargas e passageiros que se encontram há bastante tempo encalhados na lama no litoral de Belém, sem operar.

CASA DAS TINTAS cada vez melhor, oferecendo as melhores marcas há quase 40 anos, inclusive tintas especiais para indústria naval, oferecendo inclusive cursos grátis. (AS).

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
Previous
Next