CONVÉS PRINCIPAL – Vacinação é aplicada nos alunos do CIABA.

O navio Auxiliar “Soure” vem participando da campanha de vacinação contra o conoravírus, prestando apoio necessário ao Comando Conjunto Norte na Operação Covid-19, que envolve as Forças Armadas e diversos órgãos e instituições.
Em 29 de Julho de 2021, um grupo composto de 27 Alunos da “Escola de Formação de Oficiais da Marinha Mercante” (EFOMM) do “Centro de Instrução Almirante Braz de Aguiar”, com datas de nascimentos entre 1995 e 1996 foram inseridos no calendário de vacinação.
Os Alunos passaram por uma triagem, sendo obedecidos todos os critérios de faixas etárias para receber a 1ª dose da vacina, sendo aplicada por Médicos e Enfermeiros militares da Marinha do Brasil, conforme o calendário em andamento.
A tendência é de que todos os Alunos recebam as doses ao longo do tempo, o que irá proporcionar sensação de alívio, uma vez que no CIABA o regime é de internato durante o Período Escolar.
O Navio Auxiliar “Soure” pertence ao “Grupamento de Patrulha Naval do Norte” e se encontra atracado no Terminal Fluvial Turístico Praça Princesa Isabel, bairro: Condor.
Com certeza absoluta o Capitão de Mar e Guerra Josué Fonseca Teixeira Júnior e sua Tripulação estão felizes por mais essa vitória contra um inimigo invisível e mortal.
Avante, Alunos da EFOMM-CIABA. “O nosso maior orgulho é ser o orgulho maior da Marinha Mercante Brasileira”.

Homenagem ao aniversariante do dia: fotógrafo Luis Celso Borges

A homenagem de hoje na coluna vai para o aniversariante do dia: o senhor Luis Celso Borges. Amigo pessoal e que muito tem incentivado nessa nova carreira de colunista.
Fotógrafo profissional, natural do Maranhão, mora em Belém por 32 anos, já tendo provado nossa culinária paraense e adotado a cidade das mangueiras como seu lar.
Sua vida profissional teve início aos 18 anos, ainda quando residia no seu Estado de origem. Ao se mudar para Belém, atuou como fotógrafo do extinto Iate Clube do Pará.
A grande curiosidade é que nesse local ele conheceu o jornalista Alyrio Sabbá, que publicava sua coluna no jornal “O Liberal” e posteriormente no “Portal da Navegação”.
O Alyrio costumava sentar numa mesa que ficava debaixo de pequena árvore, todos os sábados. Num desses dias, o Luis Celso foi convidado a se sentar com ele, dando início a uma grande amizade, sendo convidado então para ser fotógrafo de sua coluna no jornal e no site.
Luis Celso esteve ao lado do Alyrio até os últimos dias de sua coluna em Abril de 2021. Hoje ele trabalha para coluna “Navegação em Foco” do Luiz Omar Pinheiro e tem o seu próprio site (www.luiscelsonews.com.br)
Por tudo que representa para nós, seus familiares e amigos, por sua conduta de ética e profissional, por ter nos contemplado com belíssimas imagens na coluna do Alyrio Sabbá no jornal “O Liberal” e no “Portal da Navegação”, a coluna “Convés Principal” presta essa grande homenagem ao fotógrafo Luis Celso Borges.
Peço a Deus que ilumine seus passos e decisões nos firmes ideais que abraçou, e que represente a manifestação de fé e esperança de que poderemos sempre contar com vossa pessoa.

Navegando

A Marinha Mercante Brasileira, através do “Centro dos Capitães da Marinha Mercante” (CCMM), sempre indicou um representante para o “Curso de Política e Estratégias Marítimas” (C-PEM) da “Escola de Guerra Naval” (EGN). Infelizmente, neste ano de 2021, nenhum Comandante está no curso, em virtude das empresas de navegações não liberarem. Esperamos que em 2022 tenhamos alguém no referido curso.

Ainda sobre o curso, atualmente um grupo de alunos composto de 40 Oficiais e um servidor civil da Marinha recentemente efetuaram várias visitas nas instalações da Autoridade Portuária e Praticagem da cidade de Santos, além do Comando do 8º Distrito Naval, onde assistiram a uma palestra. O Comandante da EGN, Contra-Almirante Silvio Luiz dos Santos esteve presente nas visitas.

O paraense CLC Carvalho no Comando do NT “Henrique Dias” agora navega pelo Atlântico Sul com destino a Salvador/BA, depois de uma longa viagem para Cingapura onde descarregou “Low Suphur Fuel Oil” (LSFO). Ele que deve passar o Comando do navio nesse porto.

O NT “Oscar Niemeyer”, gaseiro de 7 mil metro cúbicos, esteve operando nesta semana no Terminal Petroquímico de “Miramar”, no porto de Belém do Pará. Esse navio faz parte da nova geração de gaseiros pressurizados da Transpetro e atende a costa brasileira de norte a sul, juntamente com mais outros três da mesma classe e dois da classe de 4 mil metros cúbicos.

A indústria naval muito lentamente vai se recuperando do período de escassez que viveu nos últimos anos. Um dos exemplos disso é o “Estaleiro Atlântico Sul” (EAS) que fica em Ipojuca (PE), no Complexo Industrial de Suape, em Pernambuco. O estaleiro retomou suas operações depois de um longo período após terminar as construções dos navios da classe Aframax da Transpetro. Desde outubro de 2020, já realizaram oito projetos de docagens e reparos emergenciais de navios da cabotagem, entre eles embarcações da Flumar e recentemente da Log In. Continuamos torcendo para que dias melhores venham novamente.

Na Segunda Guerra Mundial, o Almirante japonês Yamamoto liberou a Ordem Secreta Nº 1 em 05 de Novembro de 1941. Essa ordem consistia no plano de ataque a Pearl Harbour utilizando a frota combinada. O ataque gerou vários filmes conhecidos, dentre eles “Tora, tora, tora!” e o romance misturado com guerra “Pearl Harbour” que tem Ben Affleck como um dos atores protagonistas.

No dia 26 de novembro de 1941, a Força de ataque japonesa saiu da Baía de Hitokappu, nas ilhas Curillas. Essa viagem levou cerca de 5,5 mil quilômetros até o Havaí. Já em 02 de Dezembro, Nagumo recebeu a ordem para atacar Pearl Harbour, que ocorreu em 07 de Dezembro, onde 363 aviões em duas levas atingiram vários navios de guerra que estavam ancorados ou atracados, bem como as pistas de pousos onde a frota aérea dos Estados Unidos estava em solo. Cinco navios de guerra e dois cruzadores da Marinha americana foram afundados nessa investida japonesa.

Essa batalha foi um grande golpe para os Estados Unidos, que só recebeu a Declaração japonesa em Washington depois das informações dos acontecimentos em Pearl Harbour. O Almirante Yamamoto exclamou a frase histórica: “receio que tenhamos acordado um gigante adormecido e enchê-lo com uma terrível determinação”. A coluna “Convés Principal” também é aprendizado e conhecimento.

A “Sociedade Amigos da Marinha” em Belém (SOAMA-PA), juntamente com a Praticagem da Barra do Pará deram total apoio ao Comando do 4º Distrito Naval na Ação Cívico Social realizado no Furo do Arrozal, em Barcarena, conforme noticiamos. A comunidade Fazendinha foi beneficiada com esse evento graças à união dessas instituições.

A Marinha do Brasil como Autoridade Marítima Brasileira possui diversos Salvamar ao longo das regiões brasileiras e em suas águas interiores, cuja principal missão é atender emergências relacionadas a salvaguarda da vida humana no mar. Recentemente o navio mercante “Goldeneye”, de bandeira do Chipre, foi atendido por uma aeronave do 1º Esquadrão de Helicópteros Antissubmarino que retirou um tripulante para encaminhamento o médico. O resgate ocorreu nas proximidades do porto de Vitória (ES).

O NT “André Rebouças”, navio que o colunista irá assumir o Comando em breve, partiu de Angra dos Reis e já se encontra em viagem, agora com novo destino: Suape (PE). Sua previsão de chegada está para domingo de manhã.

“Dizem, não sei” que determinada empresa, criada recentemente, adquiriu um navio tanque de bandeira brasileira de bastante idade, com o objetivo de economizar. Conclusão: o navio perdeu a classe, vai ter que docar e realizar vários reparos, levando cerca de 4 a 5 meses para voltar a operar. Tudo isso envolve custos e a maioria da tripulação foi demitida. Não se pode entrar num ramo sem conhecer o processo.

Outra grande empresa de navegação atua como se estivesse fazendo um favor para o marítimo embarcado. Devemos lembrar que o marítimo é a força operacional de uma empresa. Caso resolvam parar, os outros setores não irão produzir ou ter lucros, daí a diferença entre custo e despesa. Concordo que todas as empresas devam tratar com benevolência e lealdade os homens do mar, pois não é a toa que deixam os leitos familiares para singrar os mares e trazer divisas para o país.

O país em que teve início a pandemia de covid é hoje uma das potências em docagens de navios. Para se realizar uma manutenção desse tipo, a exigência é de que a quarentena seja de no mínimo 28 dias, isso iniciando depois da partida do último porto até a chegada no estaleiro. Se o país de origem da embarcação for Índia, a exigência é de 56 dias de quarentena.

O colunista deseja antecipadamente a todos os papais em terra e no mar um feliz “Dia dos Pais” (RM).

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
Previous
Next