CONVÉS PRINCIPAL – O papel social do Oficial Mercante no fomento da mentalidade marítima do povo brasileiro.

Capitão de Cabotagem Allan Silvio Moreira (Projeto Imperial Marinheiro)

Nosso país, como sabemos, é continental e possui um litoral imenso, porém pouco explorado e desconhecido por muitos brasileiros.
Um país que nasceu através do mar jamais poderia ter habitantes que se quer sabem a importância do mesmo para a nação, pois sabemos que os países nórdicos e europeus onde também tiveram suas origens através dos mares, o valor e o amor que a população tem pelos oceanos e pelos marinheiros é imenso e incomparável com os mesmo sentimentos que os brasileiros têm pelo povo do mar. Isso se dá por razões políticas que voltam os olhos da população para os modais de transportes terrestres e também o fomento da agricultura e outras atividades que fazem uma espécie de tapa olhos para com as riquezas e a importância de seu litoral.
Nesse sentido e sabendo da formação que tem o pessoal da Marinha Mercante, faz-se imprescindível realizar alguns trabalhos de cunho social junto a sociedade no tocante ao fomento da mentalidade marítima.
Um país como o nosso não deve continuar a ter brasileiros que desconhecem os benefícios e a importância que o mar tem.
Faz-se mister a realização de algum trabalho em prol da sociedade pelos mercantes, principalmente os Oficiais, pois estes, através de sua bagagem cultural e técnica podem influenciar positivamente a juventude à gostar do mar e enxergar além da praia.
Os homens do mar são pessoas distintas, admirados pelos entes e invejados pelos que ficam em “terra” a ponto de enfrentar as adversidades que enfrentam os marujos, e onde quer que estejam na imensidão do nosso Brasil, e até como forma de retribuir ao povo brasileiro, que custeou a nossa formação.

Agradecimento especial ao Embaixador da IMO no Brasil.

O agradecimento especial da coluna de hoje vai para o Capitão de Longo Curso Francisco César Monteiro Gondar, Embaixador da IMO (International Maritime Organization) no Brasil e Comodoro da Marinha Mercante Brasileira.
Amigo especial deste colunista, o Comandante Gondar vem contribuindo de maneira significativo para a Marinha Mercante Brasileira. Suas palestras, em escolas, em instituições públicas e privadas, leva o conhecimento sobre as participações de nossas duas Marinhas (Guerra e Mercante) nas histórias dos conflitos mundiais como as Grandes Guerras.
Dos seus 40 anos de vida no mar, 27 foram exercendo a função no Comando de navios na empresa “Aliança”, tendo navegado 2.600.000,0 (dois milhões e seiscentas mil) milhas em seus 8.900 dias embarcados.
Hoje, após aposentadoria de embarque, atua como “Juiz Suplente do Tribunal Marítimo”, membro da “Associação Brasileira de Direito Marítimo” (ABDM) e faz parte da Diretoria do “Centro dos Capitães da Marinha Mercante”.
Pela sua brilhante história, de respeito e motivação, ao longo da carreira recebeu várias homenagens, condecorações e moções, entre elas se destacam a Medalha de Mérito Naval (Grau Oficial), Medalha de Mérito Tamandaré, essas da gloriosa Marinha do Brasil, e a Medalha de Mérito Tiradentes da “Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro” (Alerj).
No ano de 2000, esteve no Curso de Política e Estratégia Marítima (C-PEM) da Escola de Guerra Naval (EGN), participando efetivamente da “Operação Tracajá”, exercícios simulados de operações combinadas entre Marinha, Exército e Aeronáutica.
Na foto, o colunista com o Comandante Gondar, no momento em que o mesmo recebia o Diploma e a Medalha do NT “Abdias Nascimento”, em envento realizado no Centro dos Capitães no ano de 2019.

Navegando

A Antaq autorizou a empresa “Cargill Agrícola S.A.” a iniciar suas atividades na Estação de Transbordo de Cargas em Miritituba, no Pará. Pertencente à região geográfica de Itaituba, as operações irão consistir na movimentação e armazenagem de cagas de granel sólido. Esperamos que traga benefícios e desenvolvimento para o Estado.

Uma pesquisa da “Neptune Declaration Crew Change Indicator” de 12 de Agosto de 2021 revela que apenas 15,3% dos marítimos no mundo todo foram vacinados contra Covid-19. Isso está bem abaixo do esperado nos países desenvolvidos. Um dos portos onde está aberta a vacinação para essa classe é o de Rotterdan, assim como nos Estados Unidos. Os marítimos foram uma das inúmeras classes que não pararam suas atividades em nenhum momento durante a pandemia.

A “Frota Nacional de Petroleiros” (Fronape) no passado contou com três navios semipressurizados e semirefigerados de GLP construídos na Alemanha. São eles: Grajaú, Gurupi e Gurupá. Os tanques dessas embarcações suportavam a pressão de 5,0 Bar e temperaturas que variavam de -48° a +45° C, podendo carregar até 4.500 toneladas. Hoje esses navios já não existem mais. Foram para o corte na Índia.

O colunista esteve a bordo do NT “Grajaú” por quase 10 anos, indo de Segundo Oficial de Náutica a Comandante, entre as datas de 15 de Setembro de 2000 e 16 de Março de 2010, sendo o navio em que ficou por mais tempo efetivo. Na função de Imediato, tendo como Comandante o Capitão de Longo Curso José Raimundo de Vasconcelos Neto e o Chefe de Máquinas Sérgio Miranda Costeira, nos anos de 2002 e 2004 obteve os Prêmios de Excelência da empresa “Navio-1000”. Anos bons foram aqueles.

O Capitão de Longo Curso José Menezes Filho é um grande entusiasta e craque em navegação astronômica. Mesmo em sua aposentadoria, continua ensinando a todos, embarcados e na escola, a grande ciência de se navegar pelos astros. Somente os verdadeiros navegantes sabem conduzir suas embarcações usando esse método. Imaginem se os sistemas de GPS’s forem desligados ou pararem de funcionar. Daí a importância desses ensinamentos.

A partir de hoje, estão abertas as inscrições para o processo seletivo ao Programa de Pós-Graduação em Estudos Marítimos, nos níveis de Doutorado e Mestrado Profissionais da Escola de Guerra Naval (EGN), que se encerra em 1º de Outubro de 2021. Para mais detalhes, acesse o site: https://www.marinha.mil.br/ppgem/?q=content/processo-seletivo

O nosso colega e amigo Capitão de Cabotagem Allan Silvio Fernandes Moreira agora desfruta de bom repouso ao lado da família. Recentemente esteve embarcado na função de Imediato do NT “Log In Endurance” que faz a grande cabotagem, indo até a Argentina. Que tenha um merecido descanso para a nova missão mais a frente.

O grande amigo Normando Ferreira da Silva faz a coluna circular a bordo da plataforma “P-68” da Petrobrás, na Bacia de Santos. Ele que foi um dos Oficiais de Náutica dos bons quando esteve a bordo com este Comando no NT “Oscar Niemeyer”. Recentemente realizou o curso de “Ballast Control Operator” (BCO). Vai para ele um grande abraço do colunista

O NT “André de Rebouças” neste momento já se encontra em viagem para Cingapura, levando 880 mil barris de “Low Suphur Fuel Oil” (LSFO) de consumo em motores marítimos, com previsão de chegada em 22 de Setembro de 2021. Acompanharemos essa viagem.

Além desse navio, também estão seguindo para esse porto os NT”s “Garrincha” e “Marcílio Dias”, levando o mesmo produto, onde o Brasil se credencia a um grande exportador de combustível com baixo teor de enxofre, conforme normas em vigor da IMO.

No dia da partida, o colunista recebeu vários votos e desejos de boa viagem dos amigos e alguns colegas de trabalho. Retribuo a mensagem com palavras de agradecimentos, em nome da Tripulação, no desejo de que em breve estaremos de volta em nossa nação, que para mim, não a trocaria por nenhuma outra. E viva a Marinha Mercante Brasileira, Viva a Marinha do Brasil (nossa formadora). E viva o Brasil. Grande abraço a todos. (RM).

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
Previous
Next