PCDs terão espaços de redes reservados nos barcos do Pará

Proposta vai ao encontro de pessoas que moram em áreas como o Marajó e que precisam fazer longas viagem como por exemplo até a capital paraense, Belém

Se navegar é preciso, descansar também é. Então que seja com conforto e comodidade aqueles que mais precisam dos rios paraenses.
Na sessão ordinária do Poder Legislativo do Estado do Pará, ocorrida na última terça-feira (24) os deputados analisaram dez projetos constantes da pauta em regime normal, e votaram todos por unanimidade. Destes dez projetos, quatro tratam sobre a inclusão político social de deficientes e de pessoas vítimas de escalpelamento.
Um deles trata sobre inclusão social trata sobre a criação de forma obrigatória em barcos, navios e ferry Boats, de espaço reservado para as pessoas com deficiência física ou mobilidade reduzida atarem suas redes. Estes espaços deverão ser sinalizados, bem como a embarcação, especificando este diferencial.
O autor do projeto, deputado Carlos Bordalo (PT), explicou que a iniciativa foi um pedido do Movimento pela Inclusão do Marajó (MIM), pleiteado junto a Comissão de Direitos Humanos e de Defesa do Consumidor, da qual o parlamentar é presidente.
Segundo o deputado, no Estado do Pará, cerca de 24% – quase um milhão e 800 mil pessoas – possuem algum tipo de deficiência de acordo com os dados do IBGE/2010. Só no Marajó, região em que o principal meio de transportes é via embarcações marítimas, existem cerca de 117 mil pessoas com problemas físicos de locomoção. “Estamos em 2021, e portanto, estes números são maiores e demonstram a urgência da adoção desta medida”, explicou Bordalo.
O deputado Miro Sanova (PDT) é o autor do Projeto de Resolução aprovado que estipula a criação da Frente Parlamentar em Defesa dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista (TEA), no âmbito do Poder Legislativo.
A Frente tem por objetivo defender e garantir as políticas destinada às pessoas com esta condição no Estado.
Para o deputado Sanova, compete à Frente realizar estudos, promover debates, propor medidas e adotar providencias para o aprimoramento das políticas públicas e legislação voltadas para as pessoas com o TEA. “A Frente, depois de constituída, poderá ainda atuar em conjunto com os órgãos da administração direta e indireta do governo do Estado”, explicou.
Foi aprovado ainda o projeto de autoria do deputado delegado Nilton Neves, instituindo no calendário oficial do Estado a Semana Estadual de Prevenção ao Escalpelamento, a ser realizada na última semana do mês de agosto, que compreende o Dia Estadual de Combate e Prevenção ao Escalpelamento, instituído pela Lei Nº. 8.465 de 27/03/2017.
Já o deputado Ozório Juvenil (MDB), em projeto ao executivo, indica a criação do Programa de Apoio Médico-Terapêutico e Educacional aos Portadores de Deficiência Auditiva Profunda. O programa estabelece por indicação médica a realização gratuita pelo Estado do implante coclear, implantação de aparelho eletrônico que substitui as funções do ouvido no portador da deficiência.

Por Portal da Navegação, via DOL.

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
Previous
Next