NAVEGAÇÃO EM FOCO – UBS Fluvial de Cametá se aproxima de 100 mil atendimentos em menos de um ano

O município de Cametá vem chamando a atenção pela assistência básica de saúde. A UBS Fluvial navega pelo Rio Tocantins levando atendimento para as mais de 300 comunidades ribeirinhas que concentram 60% da população cametaense. Segundo a prefeitura, a UBS realiza cerca de 3 mil atendimentos por semana. Em operação desde março, estima-se que tenha beneficiado mais de 84 mil pessoas.
A embarcação está equipada com consultórios para atendimentos médico e odontológico, além de realizar realizar exames laboratoriais e de imagem. “O principal objetivo destas ações é prevenir. Não podemos deixar as pessoas adoecerem para enfrentarem dificuldades de transporte em busca de atendimento de urgência na cidade”, defende o prefeito Victor Cassiano.
A UBS é, ainda, grande aliada no combate à pandemia em Cametá. A prefeitura aplicou mais de 50 mil doses de vacina contra covid-19, ajudando na imunização completa de pessoas que vivem nas regiões mais distantes. Com estas ações, está sendo possível manter controlados os número de novos casos e mortes no município.

RECORDAR É VIVER # De Praticante de Oficial de Náutica à Superintendente da FRONAPE

Ainda jovem, aos 24 anos, o capixaba Ronaldo Cevidanes Nunes Machado concluiu o curso de Oficial de Náutica, em 1954, e, no mesmo ano, ingressou no quadro de Marítimos da Frota Nacional de Petroleiros, a FRONAPE, da Petrobras. Entrou como 2º Oficial de Náutica. Dez anos depois, já era Comandante.
Na década de 70, o Comandante Ronaldo foi convidado a receber os primeiros navios “Very Large Cargo Carrier”, os famosos VLCC – navios de 337 metros de comprimento por 54 metros de boca. Entre eles, estava o lendário “José Bonifácio”, que foi lançado ao mar em setembro de 1973. A viagem inaugural aconteceu em janeiro de 1974.
O Comandante assumiu o comando do “José Bonifácio” em julho de 1974. Na primeira viagem como comandante, teve como imediato o Capitão de Cabotagem Menezes que também viria a comandar o navio..
No período que comandou o “José Bonifácio”, de 1974 a 1996, o navio foi referência na Marinha Mercante Brasileira e era considerado uma verdadeira escola. Todos os marítimos que tiveram a honra de fazer parte da tripulação tornaram-se grandes profissionais. Até hoje se reúnem para comemorar o aniversário do navio.
Um detalhe especial dessa época: quando estavam na rota Brasil/Japão, nas manobras de saída e chegada nos portos, os tripulantes usavam o uniforme azul, de gala. Aos domingos, todos de branco para almoçar. Era servido filé, camarão e lagosta. Foi neste período que Ronaldo escreveu o livro “A Rota da Solidão”, que retrata a memória do Transporte Marítimo no Brasil. Vale dizer que, atualmente, o “José Bonifácio” foi transformado na plataforma P-35 e está em operação na Bacia de Campos/RJ.
Lembrando que de 1996 a 2000, o Comandante Ronaldo Cevidanes assumiu a Superintendência Geral da Fronape. Implantou, na empresa, o ISM CODE, e os ISO 9000 e ISO 14000. Atualmente, é consultor do Presidente da Transpetro.

Mares & Rios

Ainda em 1977, quando cumpria o primeiro mandato como Prefeito de Moju, Oton Gomes de Lima já falava sobre a implantação de um porto no município para embarcar minério. Ele se baseava na existência do Porto da Serraria do Salame, que ficava à margem do rio Moju. Não saiu em Moju, mas em Barcarena. Hoje, é o Complexo Portuário de Vila do Conde. Oton foi prefeito até 1981 e é pai do atual Chefe da Casa Civil do Governo do Pará, Iran Lima.

Por conta da resolução nº 6 do Conselho Nacional de Imigração, os navios “Rya Rad”, “Trombetas”, “White Whale” e “Amberjack”, de bandeiras estrangeiras, afretados para a empresa de navegação Norsul, já contam com Marítimos Brasileiros nas tripulações. São Oficiais de Náutica e Máquina. Sendo assim, mais uma opção de embarque para os brasileiros, os navios operam nas linhas Porto Trombetas ou Juruti para o Terminal da Alumar, em São Luís/MA transportando bauxita.

Uma das cenas mais clássicas da aviação amazônica deverá voltar a acontecer em breve. A Força Aérea Brasileira (FAB), através da Comissão de Aeroportos da Região Amazônica (COMARA), anunciou que está concluída a obra de reforma e ampliação da pista de Estirão do Equador. Com isto, o avião C-130 Hercules poderá fazer pouso e decolagens no meio da floresta, ao lado da fronteira com o Peru, após 10 anos.

Os Práticos Pedro e Alvim da ZP-1, logo após desembarcarem do navio “Hafnia Lotte”, no canal do Pracaubas, em Macapá/AP, participaram de uma faina de salvamento. Da lancha, avistaram o que parecia ser um náufrago. Mais de perto, perceberam que era um leitão. Graças às habilidades do marinheiro Celestino, foi possível laçar o pequeno suíno e resgatá-lo em segurança (LOP).

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
Previous
Next