NAVEGAÇÃO EM FOCO – Veleiro Cisne Branco bate em ponte, no Equador

O Navio Veleiro Cisne Branco, da Marinha do Brasil, sofreu avarias ao colidir com uma ponte na cidade de Guayaquil, a maior cidade do Equador, ontem. Até o fechamento desta edição, não havia informações sobre sobre vítimas.
A informação foi divulgada em nota oficial da Armada do Ecuador. De acordo com as informações preliminares, o Cisne Branco fazia uma manobra para zarpar no rio Guayas, apoiado por um rebocador, quando sofreu uma forte corrente e foi levado em direção à ponte. As autoridades equatorianas também disseram que estão “ativamente trabalhando para cuidar da vida humana e que se pronunciarão na medida em que existam mais informações”.
O Cisne Branco chegou no dia 15 ao porto de Guayaquil, após participar das comemorações pelos 200 anos da Marinha de Guerra do Peru. Além disto, está em viagem pela América do Sul divulgando o evento “Velas Latinoamérica 2022”, um evento náutico internacional que se iniciará em fevereiro de 2022 no Rio de Janeiro e faz parte das comemorações do Bicentenário da Independência do Brasil.
Segundo a Marinha do Brasil, o Cisne Branco “exerce funções diplomáticas e de relações públicas”. “A sua missão é representar o Brasil em eventos náuticos nacionais e internacionais, divulgar a mentalidade marítima e preservar as tradições navais”, diz o órgão militar.

Conhecendo a Amazônia: Cidades da margem direita do Rio Solimões

Cidade de Benjamin Constant vista do alto.

A sessão “Conhecendo a Amazônia” aporta nas cidades da margem direita do rio Solimões. São Benjamin Constant, Tefé e Coari. Começaremos com a cidade de Benjamin Constant, que fica localizada no sudoeste Amazonense, a 1.118 km em linha reta de Manaus. Com uma população estimada de 44.873 habitantes em 2021, é o décimo quarto município mais populoso do Amazonas.
A tribo Ticuna, uma das etnias tradicionais da Amazônia, além de ser a maior etnia conhecida que marca a história de Benjamin Constant, tem tanta importância para a cultura local que foram criados cursos bilíngues (português-ticuna) para os indígenas da região.
A cidade é conhecida por ser muito festiva e surpreende turistas e visitantes com lendas e mitos. As festas acontecem durante quase o ano todo. Começando pelo carnaval de rua, em fevereiro, com o desfile dos blocos de rua: bloco do soro, blocos dos mascarados, bloco da melhor idade, entre outros. No mês de junho, tem as tradicionais festas juninas com apresentações de danças típicas e quadrilhas por todas as escolas. Em julho, tem o Festival Folclórico Benjaminense que é o maior Festival do Alto Solimões, com a disputa entre o “Boi-Bumbá Corajoso” e o “Boi-Bumbá Mangangá”.
Seguindo tem o Festejo de São Francisco que acontece entre os dias 25 de setembro a 4 de outubro, e no último dia de festejo, acontece a procissão de São Francisco, que é a maior procissão da cidade. Os devotos, nesse dia, caminham durante a procissão descalços por quase a cidade inteira. Finalizando com o festejo da Padroeira da cidade, Nossa Senhora da Imaculada Conceição, comemorado no dia 8 de dezembro.
As influências culturais podem ser facilmente vistas no aspecto das construções e na memória dos moradores. Benjamin Constant é bastante visitada por turistas que chegam por Letícia, na Colômbia, via Tabatinga, cidade vizinha. Mas, o acesso também pode ser via fluvial, partindo de Manaus, em barco regional ou lancha-rápida.

Autoridades na sexta premiada (mocotó com charque) do Zezé

Zezé do Boxe com amigos.

Toda sexta-feira o querido Zezé do Boxe, referência no esporte e também nos movimentos sociais, reúne, em casa, vários amigos. Entre eles, algumas autoridades do estado vão para saborear o famoso Mocotó com Charque, preparado pela esposa Regina. Desta vez, Zezé recepcionou o Governador Helder Barbalho e aproveitou a ocasião para discutir apoio ao projeto “Nocaute na Violência”. Na foto, da esquerda para direita: Chefe da Casa Civil Iran Lima, Boxeador Campeão Acelino “Popó” Freitas, Governador Helder Barbalho, Zezé do Boxe; Juiz Federal Rubens Rollo; Secretário da SEEL Nivan Noronha e Conselheiro do Tribunal de Contas, Nelson Chaves.

Mares & Rios

Logo mais, às 9h, no Centro de Instrução Almirante Braz de Aguiar (CIABA), acontece a Cerimônia de Aniversário de 129 anos do CIABA, presidida pelo comandante CMG Josué Fonseca Teixeira Junior. Várias personalidades ligadas ao setor marítimo recebem o diploma de “Amigos do CIABA”.

Reina grande preocupação entre os Sindicatos ligados ao setor marítimo. Quase todos os contêineres movimentados na cabotagem brasileira são transportados por navios que fazem parte de um oligopólio formado por três empresas brasileiras com capital estrangeiro. No mundo, são as quatro maiores empresas de transportes do setor.

O Comandante de Longo Curso Francisco Cesar Monteiro Gondar, hoje presidente do Centro de Capitães da Marinha Mercante, viajou por muitos anos para a Amazônia no comando dos navios da Aliança. Inclusive, tive a honra de viajar sob o comando dele na função de Prático a bordo do Navio N/M “Renata”.

Nesta semana, a Marinha apreendeu duas embarcações de pesca que ofereciam risco potencial à salvaguarda da vida humana no litoral paraense. Em um dos meios, o IBAMA apreendeu ainda 10,5 toneladas de pescado, que foram doadas para 24 instituições que prestam apoio a pessoas carentes (LOP).

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
Previous
Next