NAVEGAÇÃO EM FOCO – Boas-vindas ao futuro Comandante

Carlos Nascimento, Vice da Soamar e o Vice-Almirante Edgar Barbosa.
Eduardo Carvalho, Grupo Mega e o Vice-Almirante Edgar Barbosa.

No fim de semana, o Vice-Almirante Edgar Luiz Siqueira Barbosa, que vai assumir o Comando do 4º Distrito Naval em 2022, esteve presente no jantar que marcou a despedida do Vice-Almirante Valter Citavicius Filho. O evento foi organizado pela Soamar-Pará e ocorreu no Restaurante Manjar das Garças, em Belém.

Conhecendo a Amazônia – COARI, a cidade dos dutos

Bacia Petrolífera de Urucu, no Amazonas

O município de Coari está localizado no rio Solimões, entre os lagos Mamiá e Coari. A história está ligada à presença das comunidades indígenas Catuxy, Jurimauas, Passés, Irijus, Jumas, Purus, Solimões, Uaiupis, Uamanis e Uaupés. Mas, hoje, Coari também é conhecida pela produção de petróleo e gás natural.
A produção de petróleo teve início em 1988, com pequenas balsas navegando no sinuoso e estreito Rio Urucu. A construção do gasoduto, que custou cerca de R$ 5 bilhões, foi inaugurado em 2009 e tem 663,2 km de extensão entre Urucu (onde a Petrobras extrai o gás) e Manaus – além de 139,3 km de ramais até Coari.
Pelo Gasoduto Urucu-Manaus, a Petrobras fornece cerca de 5 milhões de metros cúbicos por dia à Companhia de Gás do Estado do Amazonas (Cigás). Além do segmento industrial, outro segmento é o transporte fluvial, numa região em que os rios têm mais importância do que as estradas de rodagem. Mas, infelizmente, do total produzido, 1,5 milhão do volume não tem utilização.
O gasoduto até Manaus foi um sonho de duas décadas. Desde o início da produção no Amazonas, em 1988, o desafio logístico foi superado passo a passo pela Petrobras. No começo, despachado pelo Rio Urucu, o petróleo seguia em balsas até Coari e descia em navios para a Reman, na capital. Em 1992, com a construção de um duto de 40 quilômetros, o embarque ganhou a alternativa do Rio Tefé, pois a vazante dificultava a navegação no Urucu no segundo semestre. O transporte do óleo por duto até Coari começou em 1997, num percurso de 279 quilômetros. Dois anos depois, outro duto passou a escoar o gás liquefeito de petróleo (GLP), transferido para navios no Terminal do Solimões. A operação do transporte do gás começou em 2009.

Aniversário

Sábado, o Almirante de Esquadra Alypio Jorge completou idade nova. Ele é Comandante de Operações Navais da Marinha do Brasil e, no dia 16 de dezembro, estará passando o Comando para o também Almirante de Esquadra Olsen, deixando o quadro da ativa da nossa Marinha e assumindo importante missão no exterior. As comemorações pela idade nova foram em família, ao lado de sua esposa Mara. A coluna deseja felicidades.

Mares & Rios

A Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra ADESG-PA divulgou os palestrantes dessa semana do XXI CEPE: hoje, a palestra presencial será com o Superintendente da Polícia Federal, Dr. Wellington Santiago da Silva. Amanhã, dia 17, será a vez do Coronel do Exército Talmo Evaristo do Nascimento.

O Centro de Controle Interno do Exército (CCIEX) promoveu, na semana passada, o 1º estágio de Auditoria Interna Governamental. O evento aconteceu no auditório da Secretaria de Economia e Finanças, no quartel-General do Exército, em Brasília, e contou com transmissão on-line, com o suporte do Centro de Educação a Distância do Exército. Militares do Exército, Marinha e Força Aérea e civis participaram do estágio, totalizando cerca de 200 pessoas.

Léo Va’a, de apenas 19 anos, natural de Breves – Marajó, foi destaque no Desafio em Canoas Havaianas que aconteceu no fim de semana, em Belém. Ele conquistou o 1º lugar na prova v1. Chegou fazendo “fly ama” e conheceu o esporte durante a passagem dos canoístas que participaram do programa Expedição Pará, da TV Liberal, exibido em 2017.

A Capitania dos Portos do Amapá apreendeu uma balsa que transportava 1,5 tonelada de brita sem comprovante de extração legal do material, durante atividade de inspeção naval, no Rio Amazonas, em Santana/AP. A ação ocorreu durante a Operação “Ágata”, que contou com apoio da Polícia Militar do Amapá e de agentes do Ibama, que ficou responsável pela brita até a apresentação de licença de extração junto aos órgãos competentes.

Hoje é comemorado o Dia Nacional da Amazônia Azul, reconhecido pela Lei 13.187/2015. A data foi escolhida em homenagem à entrada em vigor da Convenção das Nações Unidas sobre Direito do Mar, em 16 de novembro de 1994. A data comemorativa visa conscientizar a população sobre a importância da região denominada pela Marinha do Brasil como “Amazônia Azul”, área oceânica ligada ao território brasileiro com aproximadamente 3,6 milhões de km², equivalente à superfície da floresta amazônica (LOP).

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
Previous
Next