Praticagem – IMPA prepara guia para treinar tripulações dos navios

Durante visita ao Brasil, o presidente da Associação Internacional de Práticos Marítimos (IMPA), Simon Pelletier, comentou sobre os resultados da última pesquisa sobre os arranjos de embarque e desembarque dos navios – período em que práticos do mundo inteiro relatam as condições que encontram os dispositivos de acesso às embarcações. O índice de não conformidades subiu de 12,11% para 13,43%. Escada de quebra-peito e escada de quebra-peito combinada com escada de portaló concentram a maioria dos casos.

Segundo o presidente da IMPA, este é um desafio permanente que envolve diversos aspectos, um deles a tripulação dos navios. Ele disse que a entidade prepara um guia de treinamento para ser distribuído nas embarcações:

– Quando falamos de segurança em geral, há sempre não conformidades. E não é porque as pessoas querem fazer errado. Algumas vezes as regulações são difíceis de entender. Temos navios de diferentes tripulações, que podem não ser tão bem treinadas quanto outras e desconhecer a regulação. O outro lado depende dos inspetores de controle de embarcações estrangeiras, se eles fazem inspeções rotineiras a bordo. Outro aspecto é o prático, que pode ir a bordo e não perceber os problemas. São muitas razões. Por isso, a IMPA trabalha com outros stakeholders, para aumentar a consciência sobre as irregularidades. É um desafio contínuo. Trabalhamos com a IMO (Organização Marítima Internacional) em particular e organizações como a International Chamber of Shipping (ICS). Também estamos preparando um guia de treinamento para que as tripulações dos navios saibam exatamente o que fazer em relação aos arranjos de transferência. Vamos distribuir este material para a ICS, que representa mais de 80% da frota mercante mundial, para que entregue a bordo.

Atualmente, as embarcações já têm afixado no passadiço um poster educativo da IMPA sobre a instalação correta dos dispositivos, de acordo com a regulação da Convenção Internacional para a Salvaguarda da Vida Humana no Mar (Solas) complementada pela Resolução A.1045 da IMO. Porém, Simon entende que o cartaz só é suficiente se há pessoas treinadas a bordo:

– Quando você não recebe treinamento, pode olhar aquela figura e ela não te diz o que fazer. Por isso, estamos trabalhando no guia. Esperamos que esteja disseminado nos próximos meses em milhares de navios.

Este ano, o Brasil mais uma vez bateu recorde de participação no levantamento da IMPA. O presidente da IMPA alerta também para a importância do relato dos problemas às autoridades, ponto que o Conselho Nacional de Praticagem está atento e vai focar em 2022.

– Mais do que reportar, devemos reportar para as autoridades. Um prático que vê uma deficiência deve reportá-la. Toda vez que ele não o faz pode ser um perigo para o prático do próximo porto. Devemos aumentar a consciência de todos. É muito importante reportar, não para punir as pessoas, mas para termos arranjos melhores – afirmou Simon, que veio conhecer o centro de simulações da praticagem em Brasília.

Acesse o resultado da pesquisa da IMPA em:

https://www.impahq.org/safety-campaign-results-2021

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
Previous
Next