NAVEGAÇÃO EM FOCO – Aniversário do Hospital Naval de Belém

Diretores dos Hospitais Militares de Belém, Coronel Feijó (Aeronáutica), Dra. Mônica Luna (Marinha) e Coronel José Ricardo Lopes (Exército)
O colunista Luiz Omar Pinheiro recebendo a medalha “Amigo do Hospital Naval”.
Thiago Pinto ao receber a medalha “Amigo do Hospital Naval”, representando o pai, Relton Pinto.
Editor do site LCNews, Luís Celso, recebendo a Medalha “Amigo do Hospital Naval”.

O Hospital Naval de Belém, que tem como diretora a CMG Monica Luna, realizou no último dia 11, a solenidade em comemoração ao 63º Aniversário de sua criação, o evento contou com a participação do Comandante do 4º Distrito Naval Vice-Almirante Edgar Luiz Siqueira Barbosa.
Durante a solenidade foram entregues a militares e a personalidades civis o Diploma e Medalha de “Amigos do Hospital Naval de Belém”, por terem prestado relevantes e destacados serviços a esta Organização Militar Hospitalar no ano de 2021.
Nos dois últimos anos, enfrentou o grande desafio de combater a pandemia do COVID-19. Importantes ações foram necessárias para garantir tratamento adequado aos usuários. Concomitantemente, outros desafios foram e estão sendo enfrentados, com resultados promissores.
Ao longo desses 63 anos o Hospital Naval vem cumprindo sua missão nos subsistemas assistencial, pericial e operativo, na área de jurisdição do Comando do 4° Distrito Naval. O Hospital Naval de Belém foi criado por meio do Decreto-Lei n° 45.193 de 32 de dezembro de 1958, assinado pelo então presidente Juscelino Kubitschek, após reforma e ampliação do prédio de alojamentos dos Suboficiais e Primeiros-Sargentos do Comando do 4º Distrito Naval.

RECORDAR É VIVER # Feijoada solidária da AVCB

Almirante Alípio Jorge, sua esposa Mara e o colunista Luiz Omar Pinheiro

Em 2016, o Comandante do 4° Distrito Naval era o Vice-Almirante Alípio Jorge. Por conta disso, a esposa, Dona Mara Teresa Couto Silva, era a Presidente da Associação das Voluntárias Cisne Branco (AVCB/PA). Sob a direção dela, a AVCB realizou grandes ações de responsabilidade social, como as feijoadas solidárias em 2015 e 2016, no Clube Albatroz.
A feijoada solidária realizada em 2016 ficou marcada porque contou com a participação em massa da comunidade marítima do Estado, como Soamar, Armadores Fluviais, Praticagem, e todos os Comandantes das OMs, que lotaram o Clube Albatroz.
As atrações ficaram por conta do rei do carimbó, mestre Pinduca, e da Bateria da Escola de Samba “Quem São Eles” que, na época, tinha o colunista como presidente. Estas atrações fizeram com que a Feijoada Solidária organizada por Dona Mara ficasse marcada como um dos principais eventos realizados pela AVCB só não no Estado do Pará, como no Brasil.

O adeus a Severino Almeida Filho

Líder sindical marítimo mais representativo de uma era, Severino Almeida Filho morreu na madrugada da última quarta-feira, aos 67 anos. Severino presidiu o Sindicato Nacional dos Oficiais da Marinha Mercante até março de 2020 e Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes Aquaviários e Aéreos até janeiro de 2021.
Severino era reconhecido pela combatividade e defesa dos trabalhadores do setor marítimo. Em conta conjunta, a CONTTMF, FNTTAA, FENCOVIB, FNE e Fenapráticos lamentaram a morte do líder sindical “incansável defensor dos direitos dos trabalhadores, muitas vezes, em posições firmes e impactantes”.
O Sindmar, em nota, afirmou que Severino “deixa o legado de uma vida inteira dedicada à defesa incansável dos direitos, das remunerações e das condições de trabalho dos marítimos brasileiros, com destaque para a criação do Sindmar no ano 2000, a partir da unificação dos sindicatos de oficiais de Náutica e de Máquinas, e com a incorporação, quatro anos depois, dos eletricistas da Marinha Mercante”.
Atendendo à vontade do próprio Severino, não haverá velório e a despedida é restrita aos familiares. O corpo será cremado na manhã desta quinta, dia 13 de janeiro, no Crematório Memorial do Carmo, no Caju, no Rio de Janeiro/RJ.

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
Previous
Next