NAVEGAÇÃO EM FOCO – CIABA inicia período de adaptação de 2022 de EFOMM

Candidatos na chegada ao CIABA

O Centro de Instrução Almirante Braz de Aguiar (CIABA), que tem como Comandante o CMG Josué, realizou na última segunda feira, o início do Período de Adaptação de 2022. Ao todo, iniciaram a Adaptação 81 homens e 36 mulheres brasileiros, além de cinco estrangeiros, sendo quatro homens e uma mulher.
O Período de Adaptação, com duração de três semanas, teve início no dia 10 de janeiro e tem previsão de encerramento para o dia 28 do mesmo mês. A Adaptação tem o objetivo de preparar os alunos para as atividades a serem desenvolvidas durante o Ciclo Escolar da EFOMM e do Núcleo de Formação de Oficiais da Reserva da Marinha (NFORM). Durante esse período, serão desenvolvidas inúmeras atividades focando a familiarização dos futuros profissionais da Marinha Mercante com a rotina a bordo do CIABA.
Em virtude da situação epidemiológica, a recepção dos adaptandos seguiu todos os protocolos das autoridades sanitárias.

Hidrovias Brasil (HB) lança projeto pioneiro de navegação na amazônia

Projeto do primeiro empurrador elétrico de manobra do mundo

A Hidrovias do Brasil, empresa de soluções logísticas integradas, lança neste ano os primeiros empurradores elétricos de manobra do mundo. As embarcações contarão com uma tecnologia inédita na navegação interior que terá impacto sustentável no modal hidroviário: trata-se da geração híbrida com baterias e geradores para minimizar o consumo de diesel marítimo e, consequentemente, os impactos no meio ambiente. A expectativa é evitar a emissão de até 2.168 toneladas de CO2 (gás carbônico) na maturidade do projeto.
Para construção das embarcações, a companhia firmou parceria com o estaleiro brasileiro Belov. Os ativos serão entregues no segundo semestre deste ano, na área do Terminal de Uso Privado (TUP) da Vila do Conde, no Pará, administrado pelas Hidrovias do Brasil. Os empurradores foram batizados com nomes de dois peixes da Amazônia, HB Poraquê e HB Enguia.

Mares & Rios

É com profunda tristeza que noticiamos o veto do Presidente Jair Bolsonaro ao artigo 9º do PL 4199/2020. Era a garantia de emprego de trabalhadores brasileiros a bordo de navios estrangeiros inscritos que vão operar exclusivamente no Brasil, dentro do programa BR DO MAR.

Este artigo determinava que a tripulação desses navios deveriam ser composta por, no mínimo, por dois terços de tripulantes brasileiros em cada nível técnico do oficial, incluído os graduados ou subalternos, e em cada ramo de atividade, incluídos o convés e as máquinas, de caráter contínuo. Com o veto, só será obrigatório reservar aos brasileiros as cadeiras de comandante, mestre de cabotagem, chefe de máquinas e condutor de máquinas. Lamentamos. O setor terá trabalhadores perdendo postos de emprego para estrangeiros.

A Capitã de Longo Curso da Transpetro, Hildelene Lobato Bahia, completou idade nova na última sexta-feira. A carreira pioneira de Hildelene se iniciou quando se formou no início na Escola de Formação de Oficiais da Marinha Mercante (EFOMM) pela primeira turma de mulheres. Na Transpetro, encontrou apoio e foi uma das primeiras oficiais femininas a embarcar, nomeada primeira Imediata e, em seguida, primeira Comandante da Marinha Mercante brasileira. Vida longa à amiga Hildelene!

A Marinha publicou, em dezembro, a primeira Carta Náutica Eletrônica (ENC), produzida integralmente pelo Centro de Hidrografia e Navegação do Norte (CHN-4). A primeira edição da ENC n° BR404021, titulada “Do Lago Aramanaí à Ilha do Amador”, consta no folheto de Aviso aos Navegantes n° 24/2021 e passou por validação do Centro de Hidrografia da Marinha (CHM). A Carta Eletrônica compreende o trecho de Arapixuna à Ilha do Amador, atualizando trecho do Rio Amazonas, conhecido por mudanças batimétricas. Sua publicação é relevante em virtude de ser um local de grande escoamento de carga naquela região.

O Aviso Hidroceanográfico Fluvial “Rio Tocantins”, subordinado ao Centro de Hidrografia e Navegação do Norte (CHN-4), retorna às atividades operacionais. Após o período de cerca de um ano e meio de reparo, o Navio foi aprovado pela Comissão de Inspeção e Assessoria de Adestramento (CIAsA), ratificando sua prontidão para o retorno às atividades operativas hidrográficas sob responsabilidade do Comando do 4° Distrito Naval

Importante registrar que na última segunda-feira, durante a cerimônia de aniversário do Hospital Naval de Belém, esteve presente o Diretor do Hospital da Aeronáutica, Coronel Médico Feijó. O Diretor dos Hospital-Geral de Belém(Exército), Coronel Médico José Ricardo Lopes, na oportunidade, foi agraciado com a Medalha “Amigo do Hospital Naval”. (LOP)

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
Previous
Next