Docas do Rio faz acordo de cooperação técnica com a Praticagem RJ

Visando o intercâmbio operacional no âmbito dos Portos do Rio de Janeiro e de Itaguaí, a Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ) e o Sindicato dos Portos e Terminais Marítimos do Estado do Rio de Janeiro (Sindipráticos RJ) finalizaram, na última quarta-feira (30), as tratativas para a assinatura de um Acordo de Cooperação Técnica (ACT), a ser celebrado nas próximas semanas.

O ACT tem como objeto principal o apoio mútuo para ativação do serviço de Atalaias em emergência nas dependências dos Local Port Services (LPS) a serem instalados nas Gerências de Acesso Aquaviário dos Portos do Rio de Janeiro (GERQUA) e de Itaguaí (GERITA), quando da ocorrência de sinistros que impossibilitem a operação da estrutura original da Praticagem RJ; bem como o guarnecimento dos LPS dos dois portos na Atalaia do Rio de Janeiro, na ocorrência de avarias ou danos similares nas dependências da Docas do Rio.

Para Marcelo Villas-Bôas, que é o responsável pela condução do processo na Docas do Rio e gestor do VTMIS (sigla inglesa para Sistema de Gerenciamento e Informação do Tráfego de Embarcações), eventual interrupção do funcionamento dos Centros de Controle Operacional (CCOs) do Rio e de Itaguaí causaria sérios riscos à segurança da navegação e à gestão do tráfego aquaviário. “Com essa parceria poderemos viabilizar, ainda neste ano, a ativação do LPS nos Portos do Rio de Janeiro e de Itaguaí, possibilitando que a Autoridade Portuária aperfeiçoe o monitoramento do tráfego aquaviário dos portos que administra em sinergia com a Praticagem, que é notadamente uma atividade fundamental para a segurança da navegação”, explicou Villas-Bôas.

Segundo o presidente do Sindipráticos, Marcello Rodrigues Camarinha, “a necessidade de guarnecimento ininterrupto do Serviço de Praticagem nos faz buscar o máximo de eficiência quando se trata, não só do profissional, mas também dos serviços de apoio ao Prático, ou seja, Atalaias e Lanchas. Buscando estar 100% do tempo disponível, a Atalaia Principal do Rio de Janeiro, que já possui uma Estação Secundária pronta para entrar em operação em caso de sinistro na Atalaia Principal, ao estabelecer com a Companhia Docas este Acordo de Cooperação Técnica, ganha mais flexibilidade para continuar operando sem interrupção, trazendo maior confiabilidade ao serviço de Praticagem, sempre pronto para atender aos usuários 24 horas por dia”.

Como objeto secundário, o acordo prevê, ainda, o compartilhamento de informações dos Sistemas de Monitoramento Ambiental (SMA), dos Sistemas de Identificação Automática (AIS) de embarcações, bem como o compartilhamento de imagens de câmeras de CFTV de ambas as instituições acordantes, em áreas de interesse comum. O prazo de vigência do ACT será de cinco anos a contar da assinatura do documento, prorrogável por igual período.

Por Portal da Navegação, via Assessoria de Comunicação – ASSCOM

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
Previous
Next