CONVÉS PRINCIPAL – Viva a Fronape – Frota Nacional de Petroleiros. Orgulho do Brasil

NT “Água Branca” operando em porto brasileiro no transporte de produtos refinados – Anos 60.
NT “Cassarongongo” – 1967
NT “Ilha Grande” – 1944.
NT “Horta Barbosa” – 1969.
NT “Quitaúna” – 1975.
VLCC “Barão de Mauá” – 1997.
O colunista na Praticagem a bordo do VLCC “Barão de Mauá” – 1997.

Completamos nesta edição a matéria em comemoração aos 72 anos da Fronape (Frota Nacional de Petroleiros), completados no último dia 2 de Abril, onde vimos sua criação e incorporações dos primeiros navios petroleiros e gaseiros, atuando tanto na Cabotagem como no Longo curso.
Acompanhamos as entradas dos “Navios Presidentes”, também conhecidos como “Supertanques”, sendo os maiores nos anos 60. Na mesma época veio também o classe “Candeias”, que eram navios com porte bruto em torno de 10.000 toneladas, construídos na Dinamarca, tendo propulsão a motor e servindo para o transporte de produtos refinados na Cabotagem.
Esses navios atenderam a costa brasileira, liberando os da classe “T2” para as linhas de longo curso. Foram considerados os mais bonitos da Fronape, marcando o inicio da renovação da frota dessa empresa.
Seus nomes eram de regiões produtoras da Bahia, como “Candeias”, “Aratu”, “Itaparica”, “Água Grande”, “Taquipe” e “Ipojuca”.
Cinco anos depois, a Fronape encomendou para dois estaleiros nacionais as construções de projetos quase idênticos aos da classe “Candeias”, sendo o marco inicial dos navios feitos no Brasil, recebendo nomes do poços de petróleos da Petrobrás.
O estaleiro “Verolme”, localizado em Angra dos Reis (RJ), construiu os navios “Carmopólis”, “Quererá” e “Cassarongongo”. Já no estaleiro “Mauá”, em Niterói (RJ), saíram os NT’s “Dom João”, “Buracica” e “Jacuípe”.
Houve os navios denominados “Tipos Isolados”, que eram exemplares únicos, não pertencendo a nenhuma classe: NT “Gabriel da Fonseca”, NT “Aroldo Bastos”, NT “Ilha Grande” e NT “Mário Dias”.
O NT “Ilha Grande” teve uma curta permanência na frota. Incorporado em 1959, encalhou em Março de 1962 no recife “Manoel Luís”, sendo declarada sua perda total.
No final dos anos 60 para início dos 70, começava a chegar os navios de grande porte com capacidade muito superior aos existentes, com pouco mais de 116.000 toneladas de porte bruto, construídos na Dinamarca. Os primeiros foram os NT “Hamilton Lopes” e NT “Horta Barbosa”
A Fronape também viria a ter em sua frota os navios químicos, como “Quitaúna”, “Quixadá” e “Quintino”, que muito operaram na Grande Cabotagem, e os famosos VLCC’ (Very Large Crude Carrier), usados no longo curso, fazendo com que a Petrobrás se tornasse um dos maiores armadores mundiais de petroleiros.
Na década de 80 e 90, vários outros navios petroleiros e gaseiros foram construídos e incorporados à Frota, garantindo uma Marinha Mercante consolidada.
Em 1998, a Frota Nacional de Petroleiros da Petrobrás que, ao ser criada, pertencia ao CNP, teve os navios passados para a Transpetro, uma nova subsidiária, que subsiste até os dias de hoje.
O colunista teve sua carreira iniciada no famoso VLCC “Barão de Mauá”, quando realizou sua Praticagem entre 1997 e 1998.

Retorno às atividades operativas do Navio-Auxiliar “Pará”.

NA “Pará” durante exercício de manobra.

No dia 12 de Abril, após nove meses em reparos na “Base Naval de Val Cães” (BNVC), em Período de Docagem de Rotina, o Navio-Auxiliar “Pará”, pertencente ao Comando do Grupamento de Patrulha Naval do Norte, retornou às suas atividades operativas, que permitirá o cumprimento de suas tarefas, como o de Patrulha-Naval, Operações Ribeirinhas, Ações Cívico-Sociais e Apoio Logístico Móvel. (Foto e contribuição: Marinha do Brasil).

Marinha no combate ao crime em Portel (PA).

NPa “Pampeiro” realiza patrulha e inspeção naval em Portel.

Entre os dias 11 e 19 de Abril, várias ações de Patrulha Naval foram realizadas na Ilha do Marajó (PA). O Navio-Patrulha (NPa) ”Papeiro”, subordinado ao Comando do Grupamento de Patrulha Naval do Norte, apoio e conduziu fiscalização aquaviária na cidade de Portel (PA), por ocasião do evento “Aquafest”.
Juntamente com os inspetores navais da “Capitania dos Portos da Amazônia Oriental” (CPAOR), foram abordadas 40 embarcações, com 14 delas sendo notificadas e 5 apreendidas.
Em uma das embarcações apreendidas, um dos tripulantes portava arma de fogo, uma pistola calibre 32 sem registro legal e com numeração raspada, sendo conduzido à Delegacia da Polícia Civil daquela cidade para as providências decorrentes. (Foto e contribuição: Marinha do Brasil).

RUMO CERTO.

  • O amigo Major da Polícia Militar do Pará Juniel Costa Maciel estará recebendo no mês de Maio importante condecoração. Sem dúvida nenhuma é merecedor.
  • Outro amigo que também estará recebendo importante condecoração é o Capitão de Longo Curso Francisco César Monteiro Gondar, uma das grandes expressões da Marinha Mercante.
  • Emocionante os vídeos do Capitão de Longo Curso Menezes e os Oficiais Superiores de Máquinas Aécio e Magalhães, por ocasião do evento do Aniversário de 72 Anos da Fronape.
  • Quando o colunista ainda era 1º Oficial de Náutica a bordo do NT “Grajaú”, o OSM Aécio proferiu a seguinte frase, da qual lembro até hoje: “Você será um grande e bom Comandante”.
  • O Praticante Oficial de Náutica Danilo Rozeira participando de docagem do navio a qual está embarcado, no Estaleiro Atlântico Sul (EAS). Viu a maquete do NT “João Cândido”.
  • O navio sob o Comando do colunista recebeu duas Praticantes de Náutica e um de Máquinas. Voltaremos com matéria sobre os mesmos.
  • O Capitão de Longo Curso Gilberto Maciel recentemente recebeu o Pin de 20 anos de serviços em uma empresa estatal. Ele tem 22 anos de serviços, somando-se os 13 anos na Petrobrás.
  • O CLC Maciel, em seus 35 anos de bons serviços, tem no seu histórico 26 anos de embarque, correspondendo a 5.800 dias de mar. Uma longa carreira.
  • O Capitão de Mar e Guerra Fábio da Silva Andrade, junto com a família no Rio de Janeiro (RJ), sempre lendo a coluna.
  • O Capitão de Mar e Guerra José Alexandre Santiago da Silva já na expectativa em ver o filho recebendo as platinas de 2º Oficial de Náutica após a conclusão do estágio embarcado. Também estamos na torcida.

NAVEGANDO

O número de operações Ship to Ship cresceram quase 40% no Brasil. Essa modalidade de operação já ocorre em vários países como os Estados Unidos, que realiza no Golfo do México. A “Diretoria de Portos e Costas” (DPC) avaliou que novos terminais, exportações de óleos e importação de gás para a geração térmica contribuíram para maior quantidade de transbordos em 2021.

O Terminal Hidroviário de Passageiros e Cargas de Santarém “Joaquim da Costa Pereira” é considerado o maior e maios moderno terminal dessa modalidade no Brasil, situado às margens do rio Tapajós, em Santarém (PA). O Governador do Pará Helder Barbalho entregou dia 20 de Abril à população.

O Alumni PPGEM está convidando a todos para Webinar da Série Tópicos em Estudos Marítimos. O evento ocorrerá no dia 28 de Abril, às 18h, com o tema “O frete marítimo em tempos de crise: como é afetado?”, que será ministrado pelo Mestre Charles Hora.Estaremos assistindo.

Outro tripulante de navio mercante foi retirado de alto mar pela Marinha do Brasil. O procedimento de Evacuação Médica (EVAM) foi realizado a 135 milhas náuticas (250 Km) da costa do município de Vitória (ES). O navio, denominado de “Cresty”, de bandeira do Chipre, foi auxiliado pela aeronave do Esquadrão “HU-2”.

No dia 20 de Abril, a Marinha realizou a Cerimônia de recebimento da última aeronave “AF-1” modernizada, nas dependências da empresa Embraer. Agora denominada de AF-1B, a aeronave atuará em várias missões da força de mar.

A Polícia Militar do Pará, que muito vem fazendo pelo cidadão de bem, terá um dos seus Oficiais Superiores homenageados pela “Associação Internacional dos Embaixadores da Paz” (AIEB-Brasil). Hoje, essa instituição militar possui sua própria Academia de Formação de Oficiais. Antes, eram formados na Academia de Minas Gerais.

A Força Aérea Brasileira recebeu mais 4 aeronaves “F-39 Gripen” por ocasião das comemorações do Dia da Aviação de Caça. A Cerimônia realizada na Base Aérea de Santa Cruz (BASC), no Rio de Janeiro, marcou a imposição da Medalha “Mérito Operacional Brigadeiro Nero Moura”. O evento contou com a presença do Presidente Jair Bolsonaro.

Hoje, estará ocorrendo a bordo do navio do colunista a Cerimônia de Páscoa, em virtude do navio está em alto mar durante o domingo em que se comemorou a data. Será apenas um evento simbólico para transmitir aos tripulantes que a comemoração não passou despercebida.

Por falar na Páscoa, vários navios mercantes de bandeira brasileira realizaram a confraternização dessa importante data mundial. A presença da tripulação demonstrou integridade, disciplina e um dos principais que considero a bordo, a união. Tripulação que não participa, não é unida.

Confesso que ao longo de quase 24 anos de carreira no mar, sendo 13 anos só de Comando, o presente embarque foi o mais movimentado, passando por várias inspeções e operando com rapidez. E não para por aí, vindo mais pela frente. Marinha Mercante moderna é isso aí. (RM).

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
Previous
Next