Porto do Rio de Janeiro celebra 112 anos

Nesta quarta-feira, 20 de julho, o Porto do Rio de Janeiro completa 112 anos e a Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ), responsável pela administração do porto, comemora a data com diversos projetos em andamento para a melhoria da infraestrutura aquaviária e terrestre, a elevação dos níveis de segurança, além da busca de novos negócios e mais sustentabilidade. Com as ações, a Autoridade Portuária objetiva aumentar a eficiência logística, visando o crescimento da movimentação de cargas e maior competitividade no mercado.

Um dos projetos de Gestão Portuária diz respeito à implantação do VTMIS (sigla inglesa para Sistema de Gerenciamento e Informação do Tráfego de Embarcações) no Porto do Rio de Janeiro, que também vai contemplar o Porto de Niterói, no intuito de melhorar a eficiência e a segurança nos acessos aquaviários aos portos e aperfeiçoar o controle do tráfego aquaviário na Baía de Guanabara. Na 1 ª fase do projeto, a implantação de um Local Port Service (LPS) deverá estar concluída até o fim deste ano. Além disso, a companhia trabalha para que o LPS tenha um moderno Subsistema de Monitoramento Ambiental (SMA), visando reduzir os riscos de acidentes ambientais.

Também foram iniciados os trabalhos com vistas à implantação, no Porto do Rio de Janeiro, do software de calado dinâmico ReDRAFT® para o cálculo da Folga Dinâmica Abaixo da Quilha (FDAQ). O sistema avalia o risco de toque da embarcação no fundo a partir da interpretação de dados meteo-oceanográficos medidos em campo e em tempo real, de previsões meteorológicas, da modelagem hidrodinâmica do porto e de levantamentos batimétricos oficiais, a fim de simular os possíveis calados seguros, auxiliar no planejamento das janelas de manobras e reduzir os custos com dragagens de manutenção.

Em novembro do ano passado, a Autoridade Portuária inaugurou o novo Portão 32, no Caju, projetado para receber o tráfego da Avenida Portuária, com quatro ‘gates’ reversíveis e automatizados. O acesso modernizado agilizou a dinâmica de entrada e saída do porto, facilitando as manobras dos caminhões e reduzindo o tráfego urbano. Recentemente, a Docas do Rio iniciou a execução de outros projetos de modernização da infraestrutura terrestre e de acostagem do Porto do Rio de Janeiro, que resultarão em ganhos de performance das operações portuárias e de eficiência logística. No Cais da Gamboa, os destaques são as obras de reforço do cais, que possibilitarão o aprofundamento dos berços para atracação de navios Panamax, com maior demanda de calado; e as obras de repavimentação das vias rodoviárias internas para adequação da infraestrutura terrestre à dinâmica operacional do porto. Já no Cais do Caju, a companhia destaca a obra de remodelagem das linhas férreas que atendem as manobras ferroviárias destinadas e procedentes dos terminais de contêineres.

Projetos futuros – Está em fase final de desenvolvimento pela Docas do Rio o novo Sistema de Programação Ferroviária para os Portos do Rio de Janeiro e de Itaguaí, cujo objetivo é a melhoria do processo de planejamento e da eficiência na execução das manobras, mitigando inclusive os conflitos com o modal rodoviário. Neste mesmo contexto, mas com foco também na segurança, a companhia está finalizando os procedimentos internos para abertura de certame licitatório visando a contratação das obras de iluminação de toda a Av. Rio de Janeiro, via interna do Porto do Rio de Janeiro, que liga o Cais de São Cristóvão aos Terminais de Contêineres e de Veículos, e recebe todo o fluxo rodoviário dos portões 32 e do Caju. Por fim, com foco na segurança, estão sendo finalizados os procedimentos internos para abertura de certame licitatório para contratação de lombadas eletrônicas para os Portos do Rio de Janeiro e de Itaguaí, no intuito de fiscalizar o cumprimento da velocidade regulamentada.

No âmbito dos projetos comerciais para o Porto do Rio de Janeiro, estão em curso os procedimentos licitatórios para viabilizar o arrendamento dos dois atuais terminais de granéis líquidos; um terminal de Gás Natural Liquefeito (GNL); dois terminais de carga geral e um terminal voltado para atendimento do offshore. Além disso, visando o crescimento sustentável e organizado da atividade portuária, está em curso a atualização do Plano de Desenvolvimento e Zoneamento (PDZ) do porto, que deverá ser concluído ainda em 2022.

Movimentação – De janeiro a maio deste ano, a movimentação de cargas no Porto do Rio de Janeiro teve uma alta de 14,3% em relação ao mesmo período de 2021. A movimentação de contêineres subiu em todos os meses de 2022, com um aumento de 26,5% na comparação com o ano passado. A projeção da movimentação de cargas para 2022 é de 10,5 milhões de toneladas, o que representa um crescimento de 11,3%, em relação a 2021.

Sustentabilidade Ambiental – A Autoridade Portuária vem trabalhando com ações para reduzir os impactos ambientais das operações portuárias, com especial atenção à qualidade do ar, gestão eficiente dos resíduos e efluentes gerados. Além disso, a atração de navios mais eficientes e menos poluentes, por meio de descontos nas tarifas portuárias, é um dos próximos passos a serem adotados pela Docas do Rio.

A companhia também realiza diversas campanhas de educação ambiental e busca incentivar os terminais do Porto do Rio de Janeiro a desenvolver projetos de Sustentabilidade Ambiental. Nos terminais MultiRio e Multi-Car, destacam-se ações, tais como: o tratamento e reuso de 100% do efluente gerado nos terminais, no intuito de eliminar o descarte e reduzir o consumo de água; a compostagem de 100% das sobras de alimentos do refeitório dos funcionários, sendo o adubo utilizado no jardim da empresa e doado para funcionários e visitantes; e o Programa de Conservação do boto-cinza na Baía de Guanabara, do qual a MultiRio é um dos patrocinadores, operado conjuntamente com o Laboratório de Mamíferos Aquáticos e Bioindicadores (MAQUA), do Departamento de Oceanografia da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ).

No terminal ICTSI Rio, o trabalho de Sustentabilidade Ambiental inclui ações como: a compostagem de 100% das sobras de alimentos do refeitório dos funcionários; a Estação de Tratamento de Água Residual (ETAR), onde a água tratada é reutilizada para lavagem de seus equipamentos; e a destinação adequada de 100% de seus efluentes domésticos e industriais. Além disso, o ICTSI Rio é o único terminal do Porto do Rio de Janeiro a ter uma Licença de Operação (LO) atestando, pelo Instituto Estadual do Ambiente (INEA), que suas operações não contaminam o Meio Ambiente; é participante do Relatório Anual de Sustentabilidade do Grupo ICTSI, onde divulga todas as suas práticas; e é uma empresa certificada pelo Instituto Brasileiro de Defesa da Natureza (IBDN) com o Selo Verde de EPN – Empresa Parceira da Natureza. Este selo é concedido às empresas que demonstram responsabilidade com as questões socioambientais do Brasil, adotando conceitos sustentáveis e promovendo a Educação Ambiental em benefício das gerações presentes e futuras.

Responsabilidade Social – A Docas do Rio participa de ações de responsabilidade social, sendo a mais recente delas a Ação Social dos Pescadores Artesanais, realizada na Baía de Guanabara. Trata-se de uma ação conjunta, liderada pela Capitania dos Portos do Rio de Janeiro, entre órgãos públicos e privados que possuem interesse comum no ordenamento do tráfego aquaviário, segurança da navegação e salvaguarda da vida humana no mar, de forma a demonstrar à comunidade pesqueira artesanal o apoio na regularização das suas embarcações e dos pescadores junto às Autoridades competentes, principalmente a Marinha do Brasil.

A ICTSI Rio também desenvolve diversos projetos de responsabilidade social, tais como: “Viva Mais Lido” – revitalização da Praça do Lido, em Copacabana, oferecendo atividades para o bem-estar físico e mental dos frequentadores; “Cria Brasil” – inclusão de crianças de escolas públicas do Caju em oficinas de linguagem de programação; “Favela Mundo” – desenvolvimento das expressões artísticas de crianças e jovens do Caju, alunos de escolas públicas; e “Arte Gerando Renda” – capacitação de mulheres jovens e adultas, através de oficinas gratuitas voltadas para formação de mão de obra qualificada para trabalhar no Carnaval e com atividades artísticas. Já a MultiRio e a Multi-Car mantêm uma parceria público-privada no Colégio Estadual Jornalista Maurício Azedo para ensino técnico complementar na área de Logística.

Vale ressaltar ainda que o Porto do Rio de Janeiro colabora para o desenvolvimento socioeconômico fluminense, com a geração de um total de quase R$ 250 milhões em impostos federais, estaduais e municipais, mais de 1.800 empregos diretos, além de quase 1.000 indiretos.

Por Portal da Navegação, via Assessoria de Comunicação – ASSCOM

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
Previous
Next